“Uma Intervenção”

Projeto cultural brusquense apresenta live “Uma Intervenção”
Texto do premiado dramaturgo inglês Mike Bartlett terá leitura dramática dos atores Jenifer Schlindwein e Everton Girardi

Sabe aquelas conversas que temos com nossos amigos e colegas, quando percebemos a divergência entre ideologias, posicionamentos políticos e até mesmo sobre os relacionamentos? É nesse contexto tão atual, que no dia 21 de março, domingo, às 20h, o público poderá acompanhar gratuitamente a live “Uma Intervenção”, leitura dramática do texto do premiado dramaturgo inglês Mike Bartlett, com os atores Jenifer Schlindwein e Everton Girardi, e direção de Max Reinert. A live será transmitida pelo canal do Youtube da PrismaCultural (link direto: bit.ly/30joSbq) e ao final o público também poderá participar de um bate papo com os atores e com o diretor.
O projeto cultural é viabilizado com recursos da Lei Federal n° 14.017, de 29 de junho de 2020, no município de Brusque.

Relações e polarização
“O texto traz a questão de divergência de pensamentos entre as consequências do apoio à uma intervenção bélica e do fato de não respeitarmos as diversidades, onde o resultado é praticamente o mesmo após o fim de uma guerra: o isolamento. O tema é bastante pertinente no momento que o Brasil atravessa, de intolerância e polarizações extremistas. ‘Uma intervenção’ trata a complexidade das relações pessoais, o quanto sofremos interferências uns dos outros e de nosso meio, o quanto nossas relações são reflexos das nossas ações”, comenta Girardi.
O projeto conta ainda com Sérgio Valle como produtor Executivo, Bianca Busato Portella como tradutora, Leonam Nagel como técnico de Execução, e Camila Francisco na interpretação de libras.

Saiba mais
Everton Girardi é ator, diretor e jornalista, com diversos cursos na área de atuação e dramaturgia. Realizou diversos projetos artísticos, entre eles a direção e atuação do espetáculo “Fanny – a rainha da cidade” e “Ao Som dos Teares”, pelo Trama Grupo de Teatro. Além disso, trabalha com audiovisual, tendo feito vídeos publicitários para diversas produtoras.
Jenifer Schlindwein é atriz, trabalha no setor de Cultura no município de Guabiruba, e é conhecida pela personagem “Dona Trude”. Com diversos cursos na área, já atuou em filmes de curta-metragem e vídeos publicitários. Foi selecionada para o curso com Eugenio Barba (considerado um dos maiores diretores teatrais da atualidade), além de atuar nos espetáculos “Paixão e Morte de um Homem Livre”, “Fanny – a rainha da cidade”, e “Ao Som dos Teares”.
Max Reinert é integrante da Téspis Cia. de Teatro desde sua fundação em 1993, tendo realizado outros trabalhos profissionais antes desta data. Em seu processo de formação estudou vários aspectos das artes cênicas. Integrou o Núcleo de Dramaturgia do SESI/PR – Teatro Guaíra, onde desenvolveu estudos referentes a construção dramatúrgica contemporânea. É autor do premiado texto “Pequeno Inventário de Impropriedades”, e das publicações e montagens “Hipotermia”, “Blow me Up” ou “Sobre a Natureza dos Homens Bomba”, “Agora Sou Outra”, “Índice 22” (em cartaz) e “Meteoros”, em diversos locais do país.
Em 2020, em função da pandemia voltou sua produção para o ambiente virtual, tendo realizado versões de espetáculos de sua companhia para o ambiente on-line. Além disso, com a Téspis dirige “Pa Pe Lê – uma aventura de Papel”, espetáculo para crianças selecionado para o Festival Funarte de Teatro Virtual.
SERVIÇO
Live “Uma Intervenção”
Leitura dramática do texto do premiado dramaturgo inglês Mike Bartlett
Dia 21 de março, domingo
Às 20 horas
Com os atores Jenifer Schlindwein e Everton Girardi
Direção de Max Reinert
No canal do Youtube da PrismaCultural: https://bit.ly/3vtFj3C (link direto)
Classificação etária: 14 anos
Acessível em libras

6ª Festa da Integração

6ª Festa da Integração, que acontece nos dias 1º e 2 de junho, sábado e domingo, no Pavilhão São Cristóvão, Bairro Aymoré. Com atrações típicas como gastronomia, apresentações musicais e de dança, exposição de animais e implementos agrícolas, artesanato e feira com os produtores guabirubenses, a festa encerra com o show de Dazaranha & Camerata Florianópolis.

Desde 2017 o espetáculo une dois dos mais importantes projetos culturais de Santa Catarina: a banda Dazaranha e a orquestra Camerata de Florianópolis. Ambas são nativas da capital catarinense. A banda existe desde 1992 e é um ícone da música estadual. A orquestra foi fundada em 1994 e é reconhecida em todo o país não apenas pelo trabalho com música sinfônica, mas também pela versatilidade nas execuções de diferentes gêneros musicais.

Tudo isso, claro, sem deixar de valorizar a cultura local. O público terá ainda opções como voo de parapente, encontro de carros antigos, Festival de Danças Folclóricas e de Danças de Integração, atividades com trilheiros, desfile alegórico, shows musicais locais e regionais e a escolha da nova realeza da festa.

Parceria

Neste ano, a Prefeitura de Guabiruba conta com a parceria da Prisma Cultural para realizar a Festa da Integração. A empresa é especializada na organização de eventos culturais através da captação de recursos via Lei Rouanet e vem com a proposta de renovar os espaços, encontrar novas parcerias e concretizar ainda mais a festa no município. Ela é a responsável pela inclusão do espetáculo Dazaranha & Camerata Florianópolis na programação.

Programação geral

6ª FESTA DA INTEGRAÇÃO

01 DE JUNHO
Sábado

11h – Abertura da 6ª Festa da Integração
Exposição de pequenos e grandes animais, produtos e implementos agrícolas, artesanato, cultura
Feira de Produtos Locais
11h30 – Show com Eletroldo Acústico com Silvano Baron
12h – Feijoada dos Trilheiros de Guabiruba em prol do Hospital de Guabiruba
12h – Exposição de Carros Antigos
14h – Banda Dick Vigarista
18h – Premiação Jogos Comunitários
19h45 – Festival de Danças Folclóricas
21h – Danças de Integração
21h30 – Show com a Banda Vox 3
2h – Encerramento

02 DE JUNHO
Domingo

8h45 – Trilha da Integração
Realização: Moto Clube Dragões da Trilha, Trilheiros Gaiola Clube e Jeep Clube Amigos da Trilha
9h – Desfile alegórico da Festa da Integração
10h30 – Rodrigo Kormann Acústico
12h – Almoço com prato típico em prol da Apae
13h – Banda Das Lebens Lied
14h30 – Banda A Cor do Sol
17h30 – Escolha da Realeza da 7ª Festa da Integração
19h30 – Show com Orquestra Camerata & Dazaranha

No dia 20 de fevereiro, o 3º BQ(en)cena traz a Guabiruba o espetáculo “Pequeno Circo de Variedades”, da Cia Circo-Íris (SC)

O 3º BQ(en)cena traz a cidade de Guabiruba o espetáculo Pequeno Circo de Variedades da Cia Circo-Íris (SC), a apresentação cômico circense marca o encerramento da terceira edição do projeto BQ(en)cena e também a inauguração da nova sede da Fundação Cultural de Guabiruba. O evento acontece no dia 20 de fevereiro, inicia as 19h com cerimônia de encerramento e a apresentação do espetáculo as 19h30, entrada gratuita. A intervenção tem classificação livre; nesta os palhaços Grapixo e Pixincha são sócios proprietários de um Pequeno Circo de Variedades e juntos andam pelo mundo apresentando atrapalhados números circenses de malabarismo, acrobacias, mágicas e mistério, sem esconderem suas fragilidades de palhaços. Eles acreditam que através do riso podem fazer do mundo um lugar melhor.
A terceira edição do BQ(en)cena – temporada de teatro, iniciou em agosto de 2017, com abertura de edital nacional para seleção de espetáculos teatrais, que recebeu na época 522 projetos inscritos, dos quais foram selecionados 22 espetáculos pela equipe de selecionadores formada por Kil Abreu, jornalista, crítico e pesquisador, membro da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e curador no Centro Cultural São Paulo (CCSP). Luciana Eastwood Romagnolli, crítica de teatro, fundadora do site Horizontedacena.com, com atuação em diversos festivais do país, doutoranda em Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Valmor Nini Beltrame, ator, diretor, dramaturgo, escritor, doutor em artes pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).
Tendo com espetáculo de abertura Farinha com Açúcar ou sobre a Sustança de Meninos e Homens, do Coletivo Negro de São Paulo, com apresentações nas cidades de Brusque e Florianópolis em outubro de 2017. Nesta edição a temporada amplio seu raio de atuação, com apresentações sendo realizadas em cinco cidades da região (Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e na capital), totalizando 33 apresentações com público superior a 2.500 expectadores e espetáculos vindos de cinco estados brasileiros.
O projeto que conclui sua terceira edição, desde o ano de 2013, movimenta a cena teatral da cidade de Brusque e região, trazendo espetáculos premiados nacionalmente, contribuindo para formação de público, atores e entusiastas das artes cênicas. Durante as três edições foram realizadas 86 apresentações, em teatros, escolas e espaços alternativos, com público superior a 11.000 expectadores. O projeto também promoveu oficinas de formação, que propiciaram a criação de grupos teatrais e montagens de espetáculos na cidade de Brusque.
Importante salientar que a terceira temporada do BQ(en)cena só foi possível graças ao patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, RVB Malhas, Zen S/A e ZM S/A, com realização do Ministério da Cidadania, através da Lei Rouanet e PrismaCultural. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

SERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta: Pequeno Circo de Variedades , da Cia Circo-Íris (SC)
Dia 20 de Fevereiro, às 19h – Cerimônia de encerramento 3º BQ(en)cena, 19h30 – espetáculo
Fundação Cultural de Guabiruba – Rua Brusque, nº 1000, Centro – Guabiruba/SC (antigo escritório da empresa Guabifios)
Classificação indicativa: livre
Gratuito
Duração: 45min

Ficha técnica:

Atuação: Luca Tuã do Amaral e Rafaela Catarina Kinas
Direção: Rodrigo Robleño (Palhaço Viralata) Assessorias Artísticas:
Trilha sonora: Fernando Lobo e Luís Guilherme Holl
Cenografia: Juliano Valfi
Consultoria de iluminação e elétrica: Alex Souza
Figurinos: Beatriz Carneiro (Kalibazar Atelier)
Fotografia do espetáculo: Chris Mayer
Design: Isabela Bugmann
Produção: Cia Circo-íris

Neste sábado, o 3º BQ(en)cena traz a Brusque espetáculos de Teatro lambe-lambe, da Cia Andante (SC)

As apresentações são gratuitas e individuais e ocorrem, das 10h às 12h, durante a programação do Sábado Fácil, organizado pelo CDL

Teatro de caixa, miniteatro, teatro lambe-lambe, magia e encantamento. Neste sábado, dia 10, o 3º BQ(en)cenatraz a Brusque dois  espetáculos e uma caixa instalação ,“Do lado de Lá”, “O Quarto de Edith ” e “Pausa para Olhar o Tempo”, da intervenção Espia Só, da Cia Andante (SC). As apresentações, que possuem tempo estimado de três a quatro minutos, são gratuitas e individuais (um espectador por vez) e ocorrem, das 10h às 12h, na Praça Barão de Schneeburg, no Centro, durante a programação do Sábado Fácil, organizado pela Câmara de Dirigentes e Lojistas (CDL) de Brusque. A classificação indicativa é a partir de 5 anos.

A Cia Andante nasceu em Itajaí (SC) e atualmente reside em Canelinha (SC). A Companhia se dedica ao teatro de animação e à palhaçaria desde 2005. No fim do mês de novembro, o 3º BQ(en)cena levará as apresentações para a cidade de Nova Trento. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.brou www.facebook.com/prismaculturall

SINOPSES DOS ESPETÁCULOS
Do Lado De Lá: Às vezes desejamos a felicidade lá longe, sem perceber que ela pode estar …do lado. Inspirado no livro ” A flor do lado de lá” de Roger Mello, espetáculo apresenta a história de uma boneca de pano e seu objeto de desejo. Com Jô Fornari. Duração: 3 minutos.
O Quarto de Edith: O que será que existe de tão importante dentro do quarto de Edith para que Cindy, a gata manhosa e brincalhona, insista tanto em entrar? Essa é uma aventura que pode nos levar a uma grande descoberta. Com Rafaela Kinas. Duração: 3 minutos.
Pausa para Olhar o Tempo: A caixa-instalação propõe um olhar e uma escuta. Olhar para aquilo que se vê e ouvir aquilo que não se vê. O que você vê e ouve quando olha o tempo?  Duração: livre.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada de teatro do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, RVB Malhas, Zen S/A e ZM S/A.

SERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta espetáculos do projeto Espia Só, da Cia andante (SC)
Dia 10 de novembro, em Brusque, das 10h às 12h
Na Praça Barão de Schneeburg (Centro – Brusque/ SC), durante a programação do Sábado Fácil, organizado pela CDL de Brusque
Classificação indicativa: a partir de 5 anos
Apresentações gratuitas e abertas ao público.

Nos dias 24 e 25 de outubro, o 3º BQ(en)cena traz a Brusque e a Guabiruba o espetáculo “Diz que Sim”, do Coletivo Baal (SC)

As apresentações são gratuitas e ocorrem na Faculdade São Luiz e na Escola de Educação Básica Prof. João Boos, respectivamente

Questionamentos, dúvidas, confrontos pessoais e a busca de uma cura. Esse é o enredo do espetáculo Diz que Sim, do Coletivo Baal (SC), que o 3º BQ(en)cena traz a Brusque e a Guabiruba, nos dias 24 e 25 de outubro, respectivamente. No dia 24, a apresentação ocorre na Faculdade São Luiz, em Brusque, em duas sessões, às 14h30min e às 19h30min, e, no dia 25, na Escola de Educação Básica Prof. João Boos, em Guabiruba, também às 14h30min e às 19h30min. Todas as apresentações são gratuitas e abertas a alunos e público em geral. Para reserva de ingresso, basta enviar nome completo e número do CPF para o e-mail contato@prismacultural.com.br. Com direção de Vicente Concilio, atuações de Beatriz Cripaldi, Gabriela Drehmer, Julia Weiss, Thaís Carli e Vanessa Civiero, direção e concepção musical de Zé Renato Mangaio, execução musical de Fernando Bresolin e Rafael Martins, e produção de Camila Petersen, o espetáculo tem duração de 50 minutos e classificação etária a partir de 12 anos.

A peça Diz que Sim narra a história de um menino que parte em uma perigosa viagem para encontrar a cura para a doença de sua mãe. Quando ele adoece no meio do caminho, o confronto com a tradição é inevitável. Sim ou Não? Tradição ou Divergência? Esse confronto é o mote para questionar o dilema entre o indivíduo e a sociedade. “A partir do dilema central do texto Aquele que diz sim, de Bertolt Brecht, o Coletivo Baal cria uma versão que retoma a origem musical do espetáculo”, explica o diretor Vicente Concilio.

Segundo Concilio, o musical Diz que Sim é o resultado de uma pesquisa iniciada no ano de 2011, com a encenação de um outro espetáculo do Coletivo, o BadenBaden. Nesta nova proposta se uniu o texto de Brecht a uma proposta musical, devolvendo o caráter de partitura ao texto impresso. “Brecht classificou Aquele que diz sim/Aquele que diz não como ópera escolar, musicada por Kurt Weill, um de seus grandes parceiros. Aquele que diz sim estreou em 1930, no Instituto Central de Educação e Instrução de Berlim, encenada por alunos e uma orquestra amadora”, complementa.

Em 2017, o espetáculo Diz que Sim, do Coletivo Baal, foi contemplado pelo Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, com apresentações em escolas públicas de Santa Catarina. O Coletivo surgiu em 2010 e desde então é inspirado pelas propostas das peças de aprendizagem de Bertolt Brecht, dedicando-se a pesquisar estratégias para encená-las.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada de teatro do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, RVB Malhas, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

prisma_Diz_que_Sim_cartaz_A3_sm (1)-1SERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta Diz que Sim, Coletivo Baal (SC)
Dia 24 de outubro, em Brusque, às 14h30 e às 19h30
No Auditório da Faculdade São Luiz (Av. das Comunidades, 233, Centro 1)
Dia 25 de outubro, em Guabiruba, às 14h30 e às 19h30
No Ginásio da Escola de Educação Básica Prof. João Boos (R. Brusque, 623, Centro)
Entrada gratuita e aberta a alunos e público em geral. Para reserva de ingresso, basta enviar nome completo e número do CPF para o e-mail contato@prismacultural.com.br
Classificação indicativa: a partir de 12 anos
Duração: 50min

 

 

FICHA TÉCNICA
Diz que Sim, Coletivo Baal
Direção: Vicente Concilio
Elenco: Beatriz Cripaldi, Gabriela Drehmer, Julia Weiss, Thaís Carli e Vanessa Civiero
Direção e concepção musical: Zé Renato Mangaio
Codireção musical: Fernando Bresolin
Execução musical: Fernando Bresolin e Rafael Martins
Figurino: Veridiana Piovezan
Modelagem e costura: Ateliê da Harumi
Produção: Camila Petersen

3º BQ(en)cena traz a Brusque o espetáculo Das Águas, da Cia Carona de Teatro (SC), nos dias 29 e 30 de setembro

As apresentações ocorrem no Teatro do CESCB, às 19h30min, e os ingressos estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf

Diluídas na chuva que cai incessantemente, personagens e histórias passeiam como se fizessem parte da paisagem. Lembranças caem como a garoa, para logo serem esquecidas. Esse é o enredo do espetáculo Das Águas, da Cia Carona de Teatro (SC), que o 3º BQ(en)cena traz a Brusque nos dias 29 e 30 de setembro. As apresentações ocorrem no Teatro do CESCB, às 19h30min. Os ingressos são limitados e já estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Com texto de Gregory Haertel, Das Águas conta com direção de Fábio Hostert e com atuações de James Beck, Pépe Sedrez, Sabrina Marthendal e Sabrina Moura. A concepção visual é assinada por Charles Steuck, Ali Assumpção e Leo Kufner, a concepção sonora pelo músico Junior Marques e a trilha sonora pela cantora Mareike. A classificação indicativa da peça é a partir de 12 anos.

O espetáculo estreou no dia 22 de outubro de 2012, em Blumenau. “A partir da traumática e recorrente experiência das cheias em nossa região, em 2011, resolvemos nos unir para criar um espetáculo que levasse aos palcos as sensações, sentimentos e fragmentos de histórias relacionadas as recorrentes cheias que assolavam o munícipio”, explica a atriz Sabrina Moura.

O dramaturgo e escritor Gregory Haertel comenta que, tendo a enchente como protagonista, optou por contar diversas pequenas histórias sem ligação entre as personagens. “São recortes mínimos que, lado a lado, compõem um painel que pretende trazer o espectador para dentro de uma situação angustiante, crescente e incontrolável. As diversas personagens estão diluídas nesse clima e suas histórias se perdem na ‘grande história’”, diz.

Haertel também acrescenta que os aspectos visuais e a música (que vem de dentro da cena) foram fundamentais durante o processo de construção da dramatúrgica. “O clima das cenas precisava funcionar para que o espetáculo não se tornasse desnecessariamente hermético. A colaboração contínua de todos os envolvidos contribuiu enormemente não só para o resultado final do espetáculo, mas também para a criação dramatúrgica”, conclui.

A Cia Carona de Teatro é grupo de artes cênicas fundado em 1995, em Blumenau, Santa Catarina. Em 2018, o espetáculo Das Águas foi selecionado para a 18ª Mostra EmCenaCatarina do Sesc.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, RVB Malhas, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

espetáculo Das Águas, da Cia Carona de Teatro (SC) - Foto: Isabel Bugmann

espetáculo Das Águas,
da Cia Carona de Teatro (SC)
Foto: Isabel Bugmann

SERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta Das Águas, da Cia Carona de Teatro (SC)
Dias 29 e 30 de setembro, às 19h30min
Teatro do CESCB (Rua Pedro Werner, 180, Centro 1, Brusque/SC)
Ingressos à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação indicativa: a partir de 12 anos
Duração: 65min.

FICHA TÉCNICA
Texto: Gregory Haertel
Direção: Fábio Hostert
Atuação: James Beck, Pépe Sedrez, Sabrina Marthendal e Sabrina Moura
Concepção visual: Charles Steuck, Ali Assumpção e Leo Kufner
Concepção sonora: Junior Marques
Trilha sonora: Mareike
Produção: Cia Carona de Teatro (SC)

Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=XS-qW1B94Qw

3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo A Princesa e a Costureira (SP), nos dias 11 e 12 de setembro, em Brusque

A peça ocorre no Teatro do CESCB e os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf

Temporada de teatro. Nos dias 11 e 12 de setembro, o 3º BQ(en)cena traz a Brusque o espetáculo A Princesa e a Costureira, da Cia Teatro da Conspiração (SP). As apresentações ocorrem no Teatro do CESCB, no dia 11, às 19h30; e no dia 12, às 14h30; e os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). A classificação indicativa é livre e a duração é de 60 min. A direção é de Antônio Correa Neto, a dramaturgia de Solange Dias, o elenco conta com os atores Erika Coracini, Márcio Ribeiro, Mariana Sancar, a iluminação é de Cassio Castelan e a composição musical é de Elaine Marin.

A peça A Princesa e a Costureira foi criada a partir da obra homônima de Janaína Leslão e tem como trama a história da jovem, Cíntia, que está prometida em casamento para o príncipe do reino vizinho, porém, ela se apaixona pela costureira responsável pelo seu vestido de noiva. “O espetáculo traz a reflexão sobre a diversidade sexual, combatendo a intolerância contra as diferenças. Um teatro que diverte e ao mesmo tempo questiona, expondo a realidade sem abrir mão da fantasia e da ludicidade”, explica o diretor Antônio Correa Neto.

O espetáculo foi criado por meio do edital PROAC LGBT/2015 e, além de cumprir temporada no Centro Cultural São Paulo, já se apresentou no Teatro Municipal de Santo André, em várias unidades do Sesc, como Santo Amaro, Itaquera, Interlagos, São Carlos, Sorocaba e Dom Pedro, e também no Itaú Cultural. A peça foi indicada em duas categorias no Prêmio FEMSA: como Melhor Dramaturgia Adaptada e Prêmio Especial pela temática LGBT. Foi também um dos melhores espetáculos infantis de São Paulo, em 2016, segundo o Guia da Folha.

“Com uma linguagem acessível, a partir do conto de fadas, o texto aguça a reflexão do adolescente sobre as chamadas ‘diferenças’, que não devem ser traduzidas em desigualdades”, diz o diretor. “A encenação tem músicas originais compostas para o espetáculo, adereços cênicos e figurinos que se transformam de acordo com o enredo, dando agilidade à trama. Já no trabalho de atuação, há mudanças constantes de personagens, em forma de jogo, sugerindo a necessidade de nos colocarmos sempre no lugar do outro para entendermos as diferentes formas do ser”, complementa.

“Nesta temporada, assim como nas duas edições anteriores, os selecionadores buscaram contemplar espetáculos não apenas belos pela sua plasticidade, mas principalmente pelos temas e enredos que eles se propõem a encenar. Sendo um dos objetivos do BQ(en)cena prezar pelo fomento e circulação de espetáculos de qualidade e em consonância com as discussões atuais”, conclui o coordenador do 3º BQ(en)cena, Sérgio Valle.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, RVB Malhas, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

Arte cartazSERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta A Princesa e a Costureira, Teatro da Conspiração (SP)
Dias 11 de setembro, às 19h30; e dia 12, às 14h30
Teatro do CESCB (Rua Pedro Werner, 180, Centro 1, Brusque/SC)
Ingressos à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação indicativa livre
Duração: 60min.

FICHA TÉCNICA
Teatro da Conspiração (SP)
Autora: Janaína Leslão
Dramaturgia: Solange Dias
Direção: Antônio Correa Neto
Elenco: Erika Coracini, Márcio Ribeiro, Mariana Sancar
Cenografia e figurinos: Mauro Martoreli
Iluminação: Cássio Castelan
Composição musical: Elaine Marin
Produção e fotografia: Alexandre Krug

Teaser –  https://www.youtube.com/watch?v=7RTKEeBIOR4

3º BQ(en)cena traz a Brusque e Guabiruba o espetáculo Um Príncipe Chamado Exupéry, da Cia Mútua (SC), nos dias 20 e 21 de junho

Um jovem e destemido aviador. Ele e seus amigos juntos formam os cavaleiros do céu. Enfrentam o céu, o mar, a noite, o deserto, as montanhas e as tempestades para cumprir o ofício: transportar o correio aéreo. Esse é o enredo do espetáculo Um Príncipe Chamado Exupéry, da Cia Mútua (SC), que o 3º BQ(en)cena traz a BrusqueGuabiruba nos dias 20 e 21 de junho. No dia 20, em Brusque, as apresentações ocorrem no ginásio da Escola de Educação Básica Feliciano Pires e no dia 21, em Guabiruba, no ginásio da Escola de Educação Básica Prof. João Boos. Nas duas escolas em dois horários distintos, às 19h, aberto ao público em geral, e às 20h50, para alunos das instituições. A entrada é gratuita e as vagas para o público externo são limitadas. Para reserva de ingresso, os interessados precisam enviar nome completo e CPF para o e-mail contato@prismacultural.com.br. A classificação etária é a partir de 8 anos.

Com direção de Willian Sieverdt, e atuação de Mônica Longo, Guilherme Peixoto, Luis Melo e Laura Correa, o espetáculo de teatro de animação da Cia Mútua é inspirado na vida do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, entre 1926 e 1944. Antes dele ter se tornado conhecido mundialmente por seu romance, O Pequeno Príncipe, Saint-Exupéry trabalhou para a Companhia de Correio Aéreo Aéropostale e, em uma época em que os aviões eram quase de papel, ele entregava cartas em escalas de vôos diários, que se estendiam pela Europa, África e América do Sul. Uma de suas escalas era na praia do Campeche, em Florianópolis, Santa Catarina, local onde ele ficou eternizado como “Zéperri”.

A montagem da peça ocorreu entre junho de 2009 a agosto de 2010, totalizando 14 meses de pesquisa, produção e ensaios, antes da estreia em 27 de agosto de 2010. A pesquisa abrangeu o estudo da vida e da obra de Saint-Exupéry, por meio da leitura de seus livros e de sua biografia completa, da pesquisa de campo realizada no Brasil e na França e da entrevista de pessoas ligadas direta ou indiretamente ao personagem, como seu sobrinho-neto, François D´Agay e Dona Chica, esposa do pescador de Florianópolis, Rafael Manoel Inácio, o Seu Deca. A produção dos bonecos e da cenografia foi planejada a partir de maquetes, story-boards, protótipos e desenhos, elaborados a partir do livro Dessins, Aquarelles, Pastels, Plumes et Crayons, de Antoine de Saint-Exupéry, que contém todos os desenhos do artista, desde 1910, quando ele tinha 10 anos, até o seu desaparecimento em 1944.

O espetáculo Um Príncipe Chamado Exupéry, da Cia Mútua (SC), foi contemplado pelos prêmios Myriam Muniz (2008 e 2012); Caixa Cultural São Paulo e Brasília; Elisabete Anderle (2009); Em Cena Catarina Sesc, circulação por 24 cidades de Santa Catarina (2011), Sesc Palco Giratório, circulação por 15 estados do Brasil (2012); e selecionado para a 3ª temporada de teatro do BQ(en)cena 2017/2019. A Cia Mútua, fundada em 1993, está atualmente estabelecida na cidade de Itajaí, Santa Catarina, e desde 2002 pesquisa o teatro de animação, produzindo e apresentando espetáculos, além de dedicar-se a projetos de formação na área.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

0001SERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta Um Príncipe Chamado Exupéry, da Cia Mútua (SC)
Dia 20 de junho, em Brusque
Às 19h, aberto ao público externo (vagas limitadas)
Às 20h50min, apresentação para alunos da escola
Local: Ginásio da Escola de Educação Básica Feliciano Pires (Rua Rodrigues Alves, 250, Centro 1, Brusque)
Dia 21 de junho, em Guabiruba
Às 19h, aberto ao público externo (vagas limitadas)
Às 20h50min, apresentação para alunos da escola
Local: Ginásio da Escola de Educação Básica Prof. João Boos (Rua Brusque, 623, Centro, Guabiruba)
A entrada é gratuita. As vagas para o público externo são limitadas. Para reserva de ingresso, os interessados precisam enviar nome completo e CPF para o e-mail contato@prismacultural.com.br
Classificação indicativa a partir de 8 anos
Duração: 50min

TEASER: https://www.youtube.com/watch?v=dUD7FTzE-rM

FICHA TÉCNICA
Roteiro/Dramaturgia: Mônica Longo, Guilherme Peixoto e Willian Sieverdt
Elenco: Mônica Longo e Guilherme Peixoto
Direção: Willian Sieverdt
Cenografia: Jaime Pinheiro
Mecanismos de bonecos e cenários: Paulo Nazareno
Sonoplastia e trilha sonora original: Guilhermo Santiago e Paulo Zanni
Engenharia de Iluminação: Giba de Oliveira
Desenhos: Marcos Leal
Figurinos: Lenita Novaes
Escultura dos bonecos: Mônica Longo
Designer gráfico: Leandro De Maman
Pintura de estrutura cênica: Luis Melo
Pintura de bonecos: Luis Carlos Vigarani
Pintura de cenários: Guilherme Peixoto e Mônica Longo
Preparação de atores: Ângela Finardi
Consultoria de pesquisa: Mônica Cristina Corrêa
Operação de luz: Laura Correa
Operação de som: Luis Melo
Pesquisa, produção e realização: Cia Mútua

Neste sábado (19), o 3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo Contos de Nanook, da Setra Companhia (PR), no Teatro do CESCB, em Brusque

Artes cênicas. Neste sábado (19), o 3º BQ(en)cena traz a Brusque o espetáculo Contos de Nanook, da Setra Companhia (PR). A apresentação ocorre às 19h30min, no Teatro do CESCB, e os ingressos estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). A classificação etária é a partir de 6 anos. A peça teve como ponto de partida o documentário “Nanook of the North” (1922), primeiro de teor antropológico da história do cinema e considerado o pioneiro neste formato, onde se acompanha a vida do esquimó Nanook e de sua família. Com direção de Eduardo Ramos e dramaturgia de Léo Moita, o espetáculo conta com os artistas Bruno Lops, Má Ribeiro, Mauro Zanatta e Patrícia Saravy. Contos de Nanook estreou em junho de 2017, em Curitiba, e bateu recorde de público, alcançando excelente repercussão e crítica. Com nove indicações ao principal prêmio do teatro paranaense, o Troféu Gralha Azul, conquistou o prêmio de Melhor Iluminação, com Beto Bruel, e de Melhor Ator, com Mauro Zanatta.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

cartaz brusqueSERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta: Contos de Nanook, da Setra Companhia (PR)
Dia 19 de maio, às 19h30min
Teatro do CESCB (Rua Pedro Werner, 180, Centro 1, Brusque/SC)
Ingressos à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).
Classificação indicativa: a partir de 6 anos
Duração: 50min

Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=O-K0o_81RfU

No dia 22 de março, o 3º BQ(en)cena traz a Brusque o espetáculo nacional “Por que nem todos os dias são dias de sol?

A apresentação da peça da Artesanal Cia. de Teatro (RJ) ocorre no Teatro CESCB, às 19h30min, e os ingressos estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf

Expressividade, luz, poesia cênica e histórias simples, singelas, que habitam o imaginário de crianças e adultos. No dia 22 de março, o 3º BQ(en)cena traz a Brusque o espetáculo Por que nem todos os dias são dias de sol?, da Artesanal Cia. de Teatro (RJ). Com classificação etária livre, a apresentação ocorre no Teatro CESCB, às 19h30min, e os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf. Com direção geral de Gustavo Bicalho e Henrique Gonçalves, o espetáculo apresenta quatro contos distintos, narrados cada um dentro de uma linguagem e técnica diferentes, apresentadas como pequenas fábulas, ressignificadas pela arte teatral.

Durante dois meses, a Artesanal Cia. de Teatro realizou um trabalho de pesquisa com cerca de 30 crianças, que foram estimuladas a formular suas opiniões sobre diversos temas: O que é o amor? O que é a liberdade? O que é a vida? O que é o medo? O que é ser adulto? Como as mulheres ficam grávidas?. “A cia ouviu diversas respostas, só possíveis dentro da filosofia pura e direta das crianças: ‘O amor é gostar de alguém e ficar juntos. Liberdade é não estar preso. O medo é algo que sentimos quando está escuro. Ser adulto é não poder brincar. As crianças são colocadas dentro da barriga das mulheres por seus papais’. Tendo como ponto de partida as respostas obtidas, direção e elenco conversaram sobre suas próprias experiências, construindo, a partir de lembranças pessoais da infância, a dramaturgia do texto”, explica o produtor Henrique Gonçalves.

Por que nem todos os dias são dias de sol? estreou em maio de 2016, em São Paulo, e em outubro do mesmo ano, no Rio de Janeiro. É vencedor do Prêmio SP de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (2016) nas categorias de Melhor Iluminação e Melhor Trilha Sonora, e, vencedor do Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro (2017), nas categorias de Melhor Iluminação e Menção Honrosa – linguagem de animação – pela excelência da confecção e manipulação.

O espetáculo é dividido em quatro contos. O primeiro fala de um menino que tem medo de uma velha que se senta todos os dias no banco de uma praça. Porém, sua curiosidade faz com que ele se aproxime dela e descubra que as lembranças são histórias que contamos para as outras pessoas. O segundo fala de uma menina que gosta de pássaros, e que tenta ajudar seu vizinho a soltar uma pipa que ficou presa nos galhos de uma árvore. O terceiro traz um homem que conversa com objetos em seu escritório, após seu filho ter lhe dito que prefere continuar criança para sempre, pois acha que é muito chato ser adulto. O quarto, conta a história de uma menina que engole uma semente de laranja, achando que dessa forma um bebê irá crescer dentro de sua barriga. Mas ao perceber que nada acontece, começa a achar que uma árvore está crescendo dentro dela.

Com 22 anos de atividade no cenário da produção teatral carioca, a Artesanal Cia. de Teatro é uma referência nacional em espetáculos para o público infantil e jovem.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

brusqueSERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta: Por que nem todos os dias são dias de sol?, Artesanal Cia de Teatro (RJ)
Dia 22 de março, às 19h30min
No Teatro do CESCB (R. Pedro Werner, 180, Centro 1, Brusque/SC)
Ingressos à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).
Classificação indicativa: livre
Duração: 50min

FICHA TÉCNICA
Dramaturgia e texto: Gustavo Bicalho
Elenco: Bruno Oliveira, Edeilton Medeiros, Marise Nogueira e Lívia Guedes
Direção: Gustavo Bicalho e Henrique Gonçalves
Bonecos: Bruno Dante
Direção de movimento dos bonecos e preparação técnica: Márcio Nascimento
Direção de movimento dos objetos e preparação técnica: Marise Nogueira
Máscaras e preparação técnica dos atores: Flávia Lopes e Marise Nogueira
Direção de movimento e preparação corporal: Paulo Mazzoni
Preparação vocal: Verônica Machado
Cenário e adereços: Karlla de Luca
Figurinos: Fernanda Sabino e Henrique Gonçalves
Pesquisa musical: Gustavo Bicalho
Desenho de som: Luciano Siqueira
Desenho de luz: Poliana Pinheiro e Rodrigo Belay
Animação: Rafael Cazes e Renata Nassur
Videomapping: Dado Marietti
Ilustrações e projeto gráfico do programa: Gabriela Gil
Fotografias: Jackeline Nigri
Direção de produção: Henrique Gonçalves
Realização: Artesanal Cia. de Teatro

Vídeo: https://vimeo.com/193529820

3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo Chapeuzinho Vermelho, do projeto Gompa e Rococó Produções (RS), nos dias 7 e 8 de março, em Brusque

As apresentações ocorrem no Teatro CESCB e os ingressos já estão à venda na bilheteria teatro e na Livraria Graf

Imaginação, medo, curiosidade e percepções diferentes de mundo. Nos dias 7 e 8 de março, o 3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo Chapeuzinho Vermelho, do projeto Gompa e Rococó Produções (RS). No dia 7, às 19h30min, e, no dia 8, às 14h30min, no Teatro do CESCB, em Brusque. A classificação etária é a partir de 7 anos e os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Com direção de Camila Bauer, a peça Chapeuzinho Vermelho traz ao público uma releitura do conto clássico de um dos mais relevantes dramaturgos franceses da atualidade, Joël Pommerat. A montagem mostra a percepção de uma criança frente ao seu cotidiano na contemporaneidade: uma mãe sem tempo, um pai ausente, uma avó doente e solitária, os perigos de sair na rua, o tédio dentro de casa e a vontade de brincar.

Chapeuzinho Vermelho é um espetáculo pensado para adultos e crianças corajosas. E esse intercambio nos anima a continuar e resistir pela arte e cultura do nosso país”, comenta o produtor e ator, Henrique Gonçalves.

O espetáculo brinca com a fábula, conhecida por todos, enquanto permite distintas interpretações a partir das diferentes percepções de mundo de adultos e de crianças. Através do jogo de linguagem que mescla teatro, dança, música e contação de história, a peça convida o público a desfrutar de um mesmo evento. O humor é a ferramenta usada para que o espectador se abra para um estado lúdico e reflexivo frente aos temas propostos, como relações familiares, uso da imaginação, medo e curiosidade da criança diante do desconhecido. Enquanto um personagem conta a história, cenas de impacto visual e auditivo vão sendo produzidas diante da plateia, por meio da composição de imagens, efeitos cenográficos e sonoros, uso de microfones, criações corpóreas e vocais que transitam entre o cotidiano e o fantástico.

O coordenador do BQ(en)cenaSergio Valle, reforça o convite a cada cidadão de Brusque e região. “A plateia é importantíssima para que o fazer teatral se materialize por completo. As pessoas são o motivo norteador do trabalho da PrismaCultural, em conjunto com todos os parceiros envolvidos no projeto. Mais do que ver ouvir ou falar é importante estar presente! Participem, o BQ(en)cena é de todos”, afirma Valle.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.prismacultural.com.br ou www.facebook.com/prismaculturall

cartazwebSERVIÇO
3º BQ(en)cena apresenta: espetáculo Chapeuzinho Vermelho, do projeto Gompa e Rococó Produções (RS)
Dia 7 de março, às 19h30min, e dia 8 de março, às 14h30min
No Teatro do CESCB (Rua Pedro Werner, 180, Centro 1, Brusque/SC)
Classificação indicativa: a partir de 7 anos
Duração: 45min
Ingressos à venda na bilheteria do teatro e na livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Teaser: www.youtube.com/watch?v=kYfzxAIdYrk

FICHA TÉCNICA
Texto: Joel Pommerat
Tradução: Giovana Soar
Direção: Camila Bauer
Elenco: Fabiane Severo, Guilherme Ferrêra, Henrique Gonçalves e Laura Hickmann Direção coreográfica: Carlota Albuquerque
Composição e desenho sonoro: Álvaro Rosa Costa
Preparação vocal: Luciana Kiefer
Cenografia: Elcio Rossini
Figurino: Daniel Lion
Iluminação: Thais Andrade
Maquiagem: Luana Zinn
Criação e confecção de máscara: Diego Steffani
Identidade visual: Jéssica Barbosa
Realização: Projeto Gompa e Rococó Produções
Fotografia: Adriana Marchiori

3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo O Marujo e a Tempestade, nos dias 20, 21, 22 e 23 de fevereiro em Brusque, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento

Com classificação etária livre e entrada gratuita, a peça da Cia Teatro Lumbra/Clube da Sombra (RS) conta com a direção de Alexandre Fávero

Aproximar o espectador de fenômenos óticos e da fantasia do teatro de sombras, uma experiência sensorial que mistura teatro, espetáculo e interatividade em uma performance para todas as idades. É com esse objetivo que, no mês de fevereiro, o 3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo O Marujo e a Tempestade – Bolha Luminosa, da Cia Teatro Lumbra/Clube da Sombra (RS), nas cidades de Brusque, Guabiruba, Botuverá e Nova TrentoNo dia 20, a apresentação ocorre na Praça da Cidadania, em Brusqueno dia 21, no Ginásio da Escola Municipal de Educação Básica Padre Germano Brandt, em Guabirubano dia 22, no Ginásio do Imigrante, em Botuverá e no dia 23 de fevereiro, no Ginásio da Escola de Educação Básica Francisco Mazzola, em Nova Trento. O horário das apresentações é sempre às 19h30min, com classificação etária livre e entrada gratuita.

Com direção e concepção de Alexandre Fávero, o espetáculo é uma performance intuitiva sem texto. Uma experiência para ver, entrar e brincar. “O balão é muito leve e feito de material sintético costurado. Em menos de 10 minutos está cheio de ar, permitindo que os artistas entrem com equipamentos de projeção para a execução da performance de luzes, sombras e efeitos especiais”, explica Fávero. A Bolha Luminosa Estreou em 2005, em Curitiba, Paraná, e faz parte das dinâmicas experimentais da Cia Teatro Lumbra, utilizando diferentes linguagens para difundir o teatro de sombras e fomentar a busca de novas ferramentas originais de projeção.

SINOPSE
O Marujo e a Tempestade conta a história de um jovem marujo que chega em um porto e conhece uma moça. Os dois se apaixonam. Quando o marujo segue viagem, é pego de surpresa por uma tempestade. A moça, pressentindo o perigo, vai ao encontro dele. Para que o amado seja salvo, um mistério deverá ser revelado. Como testemunhas, apenas a lua cheia e todo o público convidado.

BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen S/A e ZM S/A. Acompanhe as notícias e as novidades também através de nossas redes sociais  www.facebook.com/prismaculturall

cartazweb

Programação
3º BQ(en)cena apresenta: O Marujo e a Tempestade – Bolha Luminosa (Cia Teatro Lumbra/Clube da Sombra, RS)
20 de fevereiro: em Brusque (Praça da Cidadania – R. Germano Schaeffer, 110 – Centro 1)
21 de fevereiro: em Guabiruba (Ginásio da Escola Municipal de Educação Básica Padre Germano Brandt –  R. Carlos Boos, 2851 – Aimoré)
22 de fevereiro: em Botuverá (Ginásio do Imigrante –  R. Paulo Osimoschi)
23 de fevereiro: em Nova Trento (Ginásio da Escola de Educação Básica Francisco Mazzola – R. Francisco Valle, 27 – Centro)

Horário das apresentações: às 19h30min
Duração: 60min
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita e aberta à comunidade

Espetáculos do primeiro semestre de 2018 do 3º BQ(en)cena

Temporada de artes cênicas em Santa Catarina. Durante o primeiro semestre de 2018, o público de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis poderá conferir seis espetáculos selecionados pelo edital do 3º BQ(en)cena – Temporada de Teatro 2017/2019, produzido e executado pela PrismaCultural. As peças de teatro que formam a programação abordam variados temas, percorrendo de drama à comédia e com classificação etária para todas as idades. Os espaços das apresentações também foram pensados de forma integral pela organização e os espetáculos serão exibidos em palco italiano, praças e espaços alternativos.

“Estamos felizes com a programação do primeiro semestre de 2018 do terceiro BQ(en)cena. São espetáculos de vários lugares do país, que foram selecionados a dedo por uma equipe de críticos ávidos e especializados em artes cênicas. Esperamos que o público curta e prestigie. Vale a pena acompanhar a programação da temporada”, afirma o diretor da PrismaCultural, Sérgio Valle.

A programação inicia em fevereiro com o espetáculo Bolha Luminosa – O Marujo e a Tempestade, da Cia Teatro Lumbra/Clube da Sombra (RS), com apresentações em quatro cidades e classificação indicativa livre. Durante o mês de março, o público poderá prestigiar a peça Chapeuzinho Vermelho, texto do autor francês Joel Pommerat, encenado dentro do projeto GOMPA e Rococó Produções (RS). A encenação brasileira propõe estética de teatro adulto ao mesmo tempo em que a fábula é pensada também para crianças. No mesmo mês, o 3º BQ(en)cena apresenta o espetáculo Por que nem todos os dias são dias de sol?, da Artesanal Cia de Teatro (RJ). Dividido em quatro contos distintos, narrados cada um dentro de uma linguagem e técnica diferentes, as histórias são apresentadas como pequenas fábulas; ressignificadas pela arte teatral.

O espetáculo Quarto 19, de Amanda Lyra (SP), será apresentado no mês de abril. Um monólogo construído a partir do conto No Quarto Dezenove (To Room Nineteen), da escritora britânica Doris Lessing, prêmio Nobel de Literatura em 2007. Conta a história de uma mulher de classe média, casada e com quatro filhos que se vê despersonalizada pelo casamento burguês, pela maternidade e pela fragmentação de sua identidade feminina. No mês de maio, a Temporada de Teatro apresenta o espetáculo Contos de Nanook, da Setra Companhia (PR), uma incrível viagem pelo Pólo Norte, onde Nanook é um esquimó que está à espera da morte. Sua experiência envolve outras duas figuras, uma menina e um urso polar, que completam este universo marcado por relações de sobrevivência.

Durante o mês de junho, a temporada apresenta o espetáculo Um Príncipe chamado Exupéry da Cia Mútua (SC), teatro de animação inspirado na vida do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, que entre 1926 e 1944, antes de ter-se tornado conhecido mundialmente por seu romance “O Pequeno Príncipe”, trabalhou para a Companhia de Correio Aéreo Aéropostale. Em uma época em que os aviões eram quase de papel, ele entregava cartas em escalas de vôos diários, que se estendiam pela Europa, África e América do Sul. Uma de suas escalas foi na praia do Campeche, em Florianópolis, local onde ele ficou eternizado como “Zéperri”, com direto a nome de rua na avenida principal.

Acompanhe as notícias e as novidades também em nossas redes sociais www.facebook.com/prismaculturall

Folder BQ(en)cena - 2018 (1º semestre)-1BQ(EN)CENA
A terceira temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com  realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, das empresas Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen S/A e ZM S/A.

Programação
3º BQ(en)cena temporada de Teatro – Programação 1º semestre 2018
Bolha Luminosa – O Marujo e a Tempestade (Cia Teatro Lumbra/Clube da Sombra, RS)
20 de fevereiro, em Brusque
21 de fevereiro, em Guabiruba
22 de fevereiro, em Botuverá
23 de fevereiro, em Nova Trento

Chapeuzinho Vermelho (Projeto GOMPA e Rococó Produções, RS)
07 e 08 de março, em Brusque

Por que nem todos os dias são dias de sol? (Artesanal Cia de Teatro, RJ)
22 de março, em Brusque
23 e 24 de março, em Florianópolis

Quarto 19 (Amanda Lyra/ SP)
14 e 15 de abril, em Brusque

Contos de Nanook (Setra Companhia / PR)
17 de maio, em Brusque
18 e 19 de maio, em Florianópolis

Um Príncipe Chamado Exupéry (Cia Mutua/SC)
20 e 21 de junho, em Brusque.

Ao Som dos Teares – 3 BQ(en)cena

:::Ao som dos aplausos:::

Foto: Douglas Kriscinski

Atenção, suspiros, comoção e risos. No sábado (11) e domingo (12), o público lotou o espaço do Teatro CESCB para ver o espetáculo Ao Som dos Teares, do Trama Grupo de Teatro, na 3ª temporada do BQ(en)cena. Cerca de 500 pessoas aplaudiram de pé a peça que é inspirada na obra do escritor brusquense João Carlos Mosimann, do livro Tragédia e Mistério na Villa Renaux – O caso criminal que abalou Santa Catarina (Insular, 2000). O texto do espetáculo foi escrito por Talita Garcia, Claiton Bigliardi e Everton Girardi, durante o processo de montagem da peça, que nasceu de uma oficina de teatro na segunda temporada do BQ(en)cena, em 2016, na época ministrada pelo diretor Silvio José da Luz, em Brusque. A direção atual do espetáculo é de Everton Girardi; o figurino, inspirado na indústria têxtil brusquense, foi criado por Andressa Lauz Bigliardi; a iluminação está sob a responsabilidade de Edson Luiz Albino Júnior (Juninho) e os elementos audiovisuais são de Ricardo Weschenfelder.

A nova temporada do BQ(en)cena ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis. Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, da Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen e ZM. Acompanhe as notícias e as novidades

pelo www.facebook.com/prismaculturall ou pelo www.instagram.com/prismacultural

Foto: Douglas Kriscinski

Assessoria de Imprensa – BQ(en)cena; Nane Pereira Comunicação e Arte.

Espetáculo, Ao Som dos Teares – 3º BQ(en)cena – Temporada de Teatro – Trama, Grupo de Teatro

Ministério da Cultura e PrismaCultural apresentam: 3º BQ(en)cena – Temporada de Teatro

Espetáculo: Ao Som dos Teares – Trama, Grupo de Teatro

Dia 11 e 12 de Novembro de 2017
Horário: 19h30
Classificação: 14 anos
Local: Teatro do CESCB

Ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro e na Livraria Graf, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Romance, morte e mistério. Em 1949, um jovem industrial é encontrado morto, com um tiro na cabeça, no palacete onde vivia com a esposa em Brusque, Santa Catarina. O inesperado acontecimento comoveu a cidade que se cobriu de interrogações nunca esclarecidas. Teria sido ele assassinado ou pôs fim à própria vida? Enquanto os indícios apontavam a mulher do finado como suspeita, as lacunas investigativas conduziam a trama para um improvável desfecho. Esse é o enredo do espetáculo Ao Som dos Teares, do Trama Grupo de Teatro,.

A dramaturgia da peça é inspirada na obra do escritor brusquense João Carlos Mosimann, do livro Tragédia e Mistério na Villa Renaux – O caso criminal que abalou Santa Catarina (Insular, 2000). O texto do espetáculo foi escrito por Talita Garcia, Claiton Bigliardi e Everton Girardi, durante o processo de montagem da peça, que nasceu de uma oficina de teatro na segunda temporada do BQ(en)cena, em 2016, em Brusque. O figurino, inspirado na indústria têxtil brusquense, foi criado por Andressa Lauz Bigliardi. A iluminação, com referência expressionista, é de Giba de Oliveira e os elementos audiovisuais são de Ricardo Weschenfelder. A direção do espetáculo é de Everton Girardi.

NO PALCO
Herdeiro de uma das famílias mais tradicionais de Santa Catarina, Ivo José Renaux (Roner Lucas) e sua esposa, Dagmar Sylvia (Talita Garcia), viviam em um luxuoso palacete localizado na avenida Primeiro de Maio, em Brusque, Santa Catarina. No dia 30 de julho, de 1949, ele foi encontrado morto, na cama do casal, com um tiro na cabeça. Amália (Jenifer Schlindwein) e Elvira (Andressa Bigliardi), empregadas na Villa, são as personagens que (conforme registros) estiveram mais próximas de Ivo e Dagmar no fatídico momento. No núcleo familiar de Ao Som dos Teares, aparecem o primo e vizinho da vítima, Erich (Arthur Bigliardi), a mãe Alvina (Janaina Antônia Garcia) e o tio de Ivo, Guilherme (Thyago de Lima Vandresen). Dos círculos sociais da cidade de Brusque daquele tempo é retratado também o delegado de polícia Álvaro (Luís Henrique Petermann). A Justiça (determinante no desfecho do caso) é representada pelas figuras de Arão (Fernando Reis), detentor da inscrição número 1 da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Santa Catarina, e Laertes (Everton Girardi), advogado de defesa de Dagmar, consagrado como um dos maiores tribunos do seu tempo. A peça abre uma licença poética, ainda, para apresentar Deisi (Juliete Silva), personagem fictícia, baseada em relatos, confidente de Ivo.

FICHA TÉCNICA
Elenco da Trama Grupo de Teatro: Andressa Lauz Bigliardi, Arthur Bigliardi, Everton Girardi, Fernando Reis, Janaina Cavalcante Garcia, Jenifer Schlindwein, Juliete Silva, Luís Henrique Petermann, Roner Lucas, Talita Garcia e Thyago de Lima Vandresen
Direção: Everton Girardi
Texto (adaptação para o teatro de Tragédia e Mistério na Villa Renaux): Talita Garcia, Claiton Bigliardi e Everton Girardi
Figurinos: Andressa Lauz Bigliardi
Iluminação: Giba de Oliveira
Técnico de Iluminação: Juninho
Cenário: Luciano Mafra
Audiovisual: Ricardo Weschenfelder.
Rede social: www.facebook.com/aosomdosteares

FARINHA COM AÇÚCAR – A ARTE NECESSÁRIA, URGENTE E REAL.

FARINHA COM AÇÚCAR OU SOBRE A SUSTAÇA DE MENINOS E HOMENS – COLETIVO NEGRO / SP 

O espetáculo que abriu a 3ª edição do BQ(en)cena – 2017/2019, nos dias 11 em Brusque e 13 e 14/10 em Florianópolis, surpreendeu e emocionou. Deixando apenas uma mensagem; a luta não pode parar.  E no Caixa de Ponto – Jornal Brasileiro de Teatro, saiu a crítica sobre as apresentações.

Vale a leitura e principalmente reflexão; aqui

“…Transita entre a música, a performance, o teatro, a dança e o ritual. São muitas as referências históricas, estéticas, poéticas e políticas que atravessam Farinha com Açúcar. As linguagens híbridas e a técnica da colagem norteiam a montagem.
A mistura, já apresentada no título, poderia ser catastrófica pela complexidade e diversidade de elementos unidos à cena. No entanto, equilibrar a dose de farinha e de açúcar é uma técnica que se aprende na infância.”

Por fim,

Obrigado, Marco Vasques, Rubens da Cunha – Caixa de Ponto – Jornal Brasileiro de Teatro.
Obrigado, Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens – Coletivo Negro.

Confira as fotos das apresentações nas duas cidades. 

3º  BQ(en)cena – Temporada de Teatro,  2017/2019.

Realização, Ministério da Cultura e PrismaCultural.

PrismaCultural divulga lista de selecionados para o 3º BQ(en)cena

PrismaCultural divulga lista de selecionados para o 3º BQ(en)cena

22 espetáculos irão compor a terceira temporada de teatro, que ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, em Santa Catarina

Proporcionar ao público um contato maior com o mundo das artes cênicas, garantir o acesso das pessoas à produção artística do país e, ao mesmo tempo, oportunizar que os profissionais de teatro possam difundir sua arte à comunidade. Com esse objetivo, a PrismaCultural divulga nesta sexta-feira (6), a lista dos 22 selecionados, mais suplentes, do 3º Edital BQ(en)cena. Foram 522 inscrições vindas de 19 estados brasileiros, mais Distrito Federal, que passaram pelo crivo e seleção do jornalista, crítico e pesquisador, Kil Abreu, da crítica de teatro, Luciana Eastwood Romagnolli, e do ator, diretor, dramaturgo e escritor, Valmor Nini Beltrame. A equipe de produção do BQ(en)cena já está em contato com as companhias de teatro selecionadas e em breve irá disponibilizar no site www.prismacultural.com.br a programação completa da terceira temporada, que ocorre de outubro de 2017 a abril de 2019, com apresentações nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Nova Trento e Florianópolis.

Confira a lista de espetáculos e suplentes selecionados:

ESPETÁCULOS ADULTO

Farinha com Açúcar, Coletivo Negro, São Paulo/SP

BRTRANS, Quintal Rio Produções Artísticas, Rio de Janeiro/RJ

REAL, Grupo Espanca, Belo Horizonte/MG

Quarto 19, Amanda Lyra, São Paulo/SP

A Princesa e a Costureira, Teatro da Conspiração, São Paulo/SP

Contos de Nanook, Setra Companhia, Curitiba/PR

Delicadas Embalagens, CiaSenhas de Teatro, Curitiba/PR

Sala dos Professores, Cia. Elevador de Teatro Panorâmico, São Paulo/SP

SUPLENTES ESPETÁCULOS ADULTO

Tropeço, Tato Criação Cênica, Curitiba/PR

Das Águas, Cia. Carona de Teatro, Blumenau/SC

Tiros em Osasco, Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI, São Paulo/SP

Hotel Mariana, Gengíbre Multimídia, São Paulo/SP

Amanda, Rita Clemente, Belo Horizonte/MG

Mamãe, Álamo Facó, São Paulo/SP

ESPETÁCULOS INFANTO/JUVENIL

SAKURÁ, Cia. Crias da Casa, Rio de Janeiro/RJ

Henriques, Cia Vagalum Tum Tum, São Paulo/SP

Chapeuzinho Vermelho, Rococó Produções Artísticas e Culturais e Projeto Gompa (RS)

Cada Qual no Seu Barril, Cia. da Revista, São Paulo/SP

Ogroleto, Grupo Pavilhão da Magnólia, Fortaleza/CE

O Dragão de Fogo, SIM! Cultura, São Paulo/SP

Por que nem todos os dias são dias de sol?, Cia. de Teatro Artesanal, Rio de Janeiro/RJ

SUPLENTES ESPETÁCULOS INFANTO/JUVENIL

Berenices, Grupo Morpheus, São Paulo/SP

Circo das Coisas, Cia Circo de Bonecos, São Paulo/SP

Oliver Twist, Cia Um, São Paulo / SP

ESPETÁCULOS ALTERNATIVOS

O Baile dos Anastácio, Grupo Oigalê, Porto Alegre/RS

A Tardinha no Ocidente, Primeira Campainha, Belo Horizonte/MG

Ópera de Sabão, Grupo Maria Cutia, Belo Horizonte/MG

Bolha Luminosa – O Marujo e a Tempestade, Clube da Sombra, Porto Alegre/RS

Um Príncipe Chamado Exupéry, Cia Mútua, Itajaí / SC

SUPLENTES ESPETÁCULOS ALTERNATIVOS

Diz que sim, Coletivo Baal, Florianópolis / SC

As aventuras do fusca à vela, Ueba Grupo de Teatro Produtos Notáveis, Caxias do Sul / RS

Relampião, Cias do Miolo e Paulicea, São Paulo / SP

ESPETÁCULOS LOCAIS

(Des)pertencimento, Cia. Andante, Canelinha/SC

Ao Som dos Teares, Trama Grupo de Teatro, Brusque/SC

SUPLENTES ESPETÁCULOS LOCAIS

Espia Só!, Cia. Andante, Canelinha / SC

Linhas e Tramas, Associação Jogral de Arte e Cultura, Brusque/SC

ABERTURA OFICIAL

O espetáculo Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens, do Coletivo Negro, de São Paulo, fará a abertura da terceira temporada do BQ(en)cena, no dia 11 de outubro, no Teatro do Centro Empresarial Social e Cultural de Brusque (CESCB), e nos dias 13 e 14, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), em Florianópolis. A obra é a materialidade cênica e poética que o dramaturgo, ator e diretor, Jé Oliveira, escolheu para formalizar sua investigação sobre a construção da masculinidade negra periférica. Em Brusque, a cerimônia de abertura da 3ª temporada do BQ(en)cena inicia às 19h e o espetáculo às 19h30, e, em Florianópolis, no dia 13, a cerimônia de abertura começa às 19h30, e a peça às 20h; no dia 14 de outubro, a apresentação serás às 20h. Os ingressos estão à venda nas secretarias dos teatros, a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o 3º BQ(en)cena conta com o apoio, patrocínio máster, da Guabifios e Trust Trading Company; e, patrocínio standard, do Supermercados Archer, Zen e ZM. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.facebook.com/prismaculturall ou pelo www.instagram.com/prismacultural

3º  BQ(en)cena – Temporada de Teatro, 2017/2019

Realização, Ministério da Cultura e PrismaCultural.

Ministério da Cultura e PrismaCultural apresentam: “Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens – Coletivo Negro / SP.

Ministério da Cultura e PrismaCultural apresentam: “Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens – Coletivo Negro / SP.

Espetáculo convidado que abre a 3º edição do BQ(en)cena, com apresentações em Brusque (01) e Florianópolis (02).

A Obra é “a materialidade cênica e poética que o dramaturgo, ator e diretor, Jé Oliveira, escolheu para formalizar sua investigação sobre a construção da masculinidade negra periférica.”

Trata-se de uma Peça Show, onde por meio de palavra falada e cantada cria-se com o público, uma relação íntima e poética para tratar de uma realidade que conta, expõe, reflete e dialetiza a experiência de ser negro na urbanidade.

Representa uma afirmação de luta. “Esse espetáculo é uma intenção sobre a vida, é uma afirmação da existência mesmo sob os escombros. Os encontros que tive com cada entrevistado foram de vida que pulsa e espero ter traduzido um pouco disso na encenação”, diz Oliveira.

Apresentação em, BRUSQUE – SC:

Classificação indicativa: 16 anos.
Dia 11/10/17
Hora: 19h30
Local: Teatro do CESCB
R. Pedro Werner, 180 – Centro 1, Brusque – SC

Ingressos – Lote único.

Inteira: R$ 20,00
Meia entrada: R$ 10,00

Vendas a partir do dia, 04/10 – nas bilheterias dos Teatros.
(Estudantes, Professores, Idosos, Portadores de necessidades especiais)

———————–
Apresentações em, FLORIANÓPOLIS – SC:

Classificação indicativa: 16 anos.
Dia 13 e 14/09/17
Hora: 20h:00
Teatro Álvaro de Carvalho – TAC
Rua Marechal Guilherme, nº 26 – Centro – Florianópolis – SC

Ingressos – Lote único.

Inteira: R$ 20,00
Meia entrada: R$ 10,00

Vendas a partir do dia, 04/10 – nas bilheterias dos Teatros.
(Estudantes, Professores, Idosos, Portadores de necessidades especiais)

Mais informações em: (47) 3351- 5137 ou contato@prismacultural.com.br

Inscrições abertas, 3º BQ(en)cena – Edital e Temporada de Teatro.

INSCRIÇÕES

_________________________________________________________________________________________________________

EDITAL ABERTO DE 15 de AGOSTO A 13 SETEMBRO

Edital de inscrição, seleção, aquisição e apresentação de espetáculos teatrais para o Projeto – 3º BQ(en)cena – Edital e Temporada de Teatro em Brusque/SC.

 

A Vallezen Produções ME – PrismaCultural, informa que durante o período de 15 de agosto a 13 de setembro de 2017 (até 23h59) encontram-se abertas as inscrições para: 3º Edital e Temporada de Teatro em Brusque/SC, que irá selecionar 6 Espetáculos Nacionais, 9 Espetáculos Estaduais (propostas vindas de todo território Nacional), 2 Espetáculos Locais (propostas vindas de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Nova Trento, São João Batista, Canelinha, Tijucas e Major Gercino) e mais 5 Espetáculos Alternativos (propostas vindas de todo território Nacional), de espetáculos que possam ser apresentados em espaços alternativos.

 

  1. DO OBJETO

 

1.1. O presente edital visa a seleção/convite de 06 espetáculos teatrais de âmbito Nacional, 9 espetáculos de âmbito Estadual, 02 espetáculos de âmbito Local e mais 5 espetáculos Alternativos.

1.1.1. O período de realização da Temporada de Teatro será de setembro de 2017 a abril de 2019, tendo suas datas e horários definidos após a seleção dos grupos, sendo Espetáculo Nacional – com três apresentações por mês (duas apresentações na cidade de Florianópolis e  uma apresentação na cidade de Brusque), Espetáculos Estaduais e Locais – com duas apresentações por mês na cidade de Brusque. Espetáculos Alternativos – com quatro apresentações no mês a ser definido, podendo ocorrer nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba e/ou Nova Trento.

 

Parágrafo primeiro: os proponentes residentes no espaço geográfico considerado pelo edital como “local”, poderão concorrer com espetáculos no âmbito Local e Nacional, desde que, com espetáculos diferentes.

 

Parágrafo segundo: caso as propostas concorrentes no âmbito de Espetáculo Local não sejam relevantes na visão dos selecionadores, estes têm o total poder de decidir a favor de propostas oriundas de outras localidades para suprir tais vagas.

 

  1. DA SALA DE ESPETÁCULO

 

2.1 Teatros – apresentações na cidade de Brusque serão realizadas preferencialmente no Teatro do CESCB – Centro empresarial de Brusque, com capacidade de público: 280 lugares. Informações e mapa do palco com seus respectivos equipamentos cênicos, de luz e som encontra-se no endereço eletrônico www.centroempresarialdebrusque.com.br . Apresentações em Florianópolis podem  ocorrer no Teatro Ademir Rosa, localizado no CIC, com capacidade de público: 906 lugares. Mais informações no endereço eletrônico http://www.fcc.sc.gov.br/tar//pagina/8015/estruturafisica. Podem ocorrer também no Teatro Alvares de Carvalho (TAC), com capacidade de público: 403 lugares (divididos entre plateia e balcão) Mais informações no endereço eletrônico http://www.fcc.sc.gov.br/tac//pagina/7491/estrutura , conforme disponibilidade de datas.

2.1.1 Espetáculos Alternativos – terão suas apresentações agendadas para espaços alternativos, podendo ocorrer em escolas, associações de bairros, praças, etc…

 

  1. DOS REQUISITOS PARA PARTICIPAR

 

3.1. Serão aceitas propostas de grupos/companhias teatrais constituídos como pessoa jurídica ou sem personalidade jurídica, desde que definam um representante legal, cujo objeto social seja compatível com o objeto aqui contratado. Para os dois espetáculos de âmbito Local, só poderão se inscrever proponentes que sejam residentes a mais de 1 ano nos municípios de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Nova Trento, São João Batista, Canelinha, Tijucas e Major Gercino, todas pertencentes a regional de Brusque/SC.

 

  1. DAS INSCRIÇÕES:

 

4.1. A inscrição é gratuita e deverá ser feita través do site www.prismacultural.com.br, onde será disponibilizado tal regulamento e todas as instruções para preenchimento e envio da documentação solicitada.

 

Paragrafo único: caso o proponente tenha problemas ou dúvidas no preenchimento e envio da documentação solicitada, deve entrar em contato através do e-mail: contato@prismacultural.com.br e solicitar auxilio para a efetivação da inscrição. As inscrições pelo correio só serão aceitas depois de esgotadas as alternativas de envio online.

 

4.2. DOCUMENTAÇÃO REFERENTE AO ESPETÁCULO (no campo cadastrar espetáculo)

 

4.2.1. Sinopse da peça

4.2.2. Concepção do espetáculo

4.2.3. Cópia do texto e/ou roteiro

4.2.4. Ficha técnica

4.2.5. Breve currículo do diretor, elenco e técnicos que integram o espetáculo, discriminadas as funções de cada profissional.

4.2.6. Projeto cenográfico e mapa de luz

 

Paragrafo único: É importante que o responsável pelo espetáculo atente aos equipamentos de som, luz e projeção, assim como ao dimensionamento do palco disponibilizados pelo presente edital, com o intuito de não acarretar problemas no momento da montagem e apresentação do espetáculo, ou mesmo, diminuir a qualidade do espetáculo. No item 2.1 se encontram os endereços eletrônicos onde podem ser acessadas as disponibilidades de luz e som, assim como os mapas de palcos que serão utilizados para apresentações. Referente aos espetáculos Alternativos é de responsabilidade do grupo, prever e providenciar os equipamentos necessários para o espetáculo, levando em consideração que a apresentação irá ocorrer em locais que não oferecem estrutura de teatro (Palco italiano).

 

4.2.7. Vídeo do espetáculo (obrigatório)

4.2.8. Matéria de imprensa sobre outros trabalhos do grupo e/ou de seus integrantes

4.2.9. Outras informações que o interessado julgar necessárias a respeito de elementos da encenação, produção, divulgação, financiamentos, apoios etc.

 

Paragrafo único: Caso o proponente não consiga, mesmo depois de esgotadas todas as alternativas, enviar sua inscrição via online, o material especificado, acompanhado da ficha de inscrição devidamente preenchida deverão ser colocados em envelope ou embalagem apropriada lacrada, especificando na capa a categoria do projeto (Nacional, Estadual, Local ou Alternativo), nome e endereço do proponente, e enviados pelo Correio, na modalidade de Carta Registrada, com aviso de recebimento, com data de postagem ou protocolados no endereço da PrismaCultural (Vallezen Produções ME) – endereço: Av. Getúlio Vargas, nº 209, sala 11, CEP: 88353-000 – Brusque / SC.  Devendo ser dirigido a: Vallezen Produções Ltda. – PrismaCultural Coordenação do 3º . Edital e Temporada de Teatro em Brusque/SC.

 

4.3. A Vallezen Produções ME – PrismaCultural, não se responsabiliza por envelopes eventualmente extraviados pelos Correios.

4.4. É facultada à Coordenação do Edital, em qualquer fase, a promoção de diligência destinada a esclarecer ou a complementar a instrução do processo, vedada a inclusão posterior de documento ou informação que deveria constar originariamente na proposta.

4.5. A Vallezen Produções ME – PrismaCultural rejeitará as inscrições que não estejam de acordo com os termos deste Edital, cuja inscrição implica na automática e plena concordância das normas nele estabelecidas.

4.6. É vedada a participação no concurso, de familiares e integrantes da comissão julgadora, bem como de funcionários da proponente deste edital – Vallezen Produções ME – PrismaCultural.

4.7. Informações gerais sobre o concurso poderão ser obtidas no site www.prismacultural.com.br.

 

5.DA SELEÇÃO E SEUS CRITÉRIOS

 

5.1. Os materiais enviados serão examinados e selecionados por uma Comissão designada pela proponente deste Edital.

5.2. A Comissão terá 03 (três) membros, sendo composta por nomes de reconhecida competência do setor teatral;

5.3. Cabe à Comissão de Avaliação e Seleção selecionar as propostas para compor a seguinte programação (podendo haver espetáculos convidados):

 

5.3.1.       6 (seis) espetáculos (de âmbito Nacional), e até 4 (quatro) para suplência

5.3.2.       9 (nove) espetáculos (de âmbito Estadual), e até 5 (cinco) para suplência

5.3.3.       2 (dois) espetáculos (de âmbito Local), e até 2 (dois) para suplência

5.3.4.       5 (cinco) espetáculos Alternativos e até 3 (três) para suplência

 

5.4. A seleção dos espetáculos dar-se-á mediante a avaliação dos projetos segundo os seguintes critérios:

 

5.4.1. A relevância do projeto proposto no escopo da programação da Temporada de Teatro a ser realizada, visando a formação e consolidação da plateia.

5.4.2.  Qualidade dos elementos do espetáculo (texto, direção, atuação e estética).

5.4.3. Coerência entre a proposta de direção e realização.

5.4.4. Histórico do grupo envolvido.

5.4.5. Currículo dos participantes.

5.4.6. Adequação da proposta ao espaço pretendido.

 

5.5. A Decisão da Comissão é soberana e irrecorrível.

5.6. Após o julgamento, o resultado final da seleção será divulgado no site: www.prismacultural.com.br; e disponibilizado através de assessoria de imprensa para todos os veículos de comunicação que desejarem publicar.

5.7. A Vallezen Produções ME – PrismaCultural, convocará os selecionados para, no prazo de 5 dias a partir de sua inequívoca ciência, apresentarem a documentação necessária à contratação. Com possiblidade de prorrogação conforme autorização da coordenação do Projeto. A ausência de resposta será considerada desistência, podendo assim, ser convocado um suplente,

 

Paragrafo único: as propostas que por ventura forem enviadas via correio ou protocoladas na entidade parceira não serão devolvidas.

 

  1. DA REMUNERAÇÃO

 

6.1. O proponente deverá enviar proposta de cachê por apresentação, que será contabilizada de acordo com número de apresentações (espetáculos Nacionais – 3 apresentações; espetáculos Estaduais e Locais – 2 apresentações e espetáculos Alternativos – 4 apresentações), assim como a preferência do mês na programação da temporada, que poderá ser negociada pela coordenação do Projeto.

 

Paragrafo único: os preços dos ingressos serão definidos após a seleção dos espetáculos, mantendo a característica de acesso a todos os públicos (preço popular). Toda a renda de bilheteria será revertida para execução das ações do próprio Projeto.

 

 

  1. DAS OBRIGAÇÕES DO SELECIONADO:

 

7.1. Assumir quaisquer ônus decorrentes da fiscalização e autuação da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais –SBAT.

 

7.2. Informar com a antecedência pré-determinada sobre as necessidades e restrições técnicas para a realização do espetáculo, tendo como limite os equipamentos e técnicos oferecidos pelas salas de espetáculo utilizadas durante a temporada, ver item 2. DA SALA DE ESPETÁCULO

7.3. Responsabilizar-se pelos custos e encargos relativos a transporte de todos os objetos que compõe o cenário

7.4. Montar, desmontar e deslocar cenários.

 

Paragrafo único: para os espetáculos Nacionais a Equipe Vallezen Produções ME – PrismaCultural disponibiliza transporte Brusque/ Florianópolis  para cenário com carga máxima de até 800kg, espetáculos Alternativos será disponibilizado transporte Brusque / cidade definida para apresentação (Botuvera, Guabiruba ou Nova Trento) para cenário com carga máxima de até 800kg.

 

7.5. Informar, por escrito, com antecedência mínima de 30 dias qualquer necessidade de alteração na ficha técnica do espetáculo, sob pena de cancelamento do espetáculo e aplicação da multa prevista no item 9.2.3

7.6. É dever do grupo selecionado estar em dia com relação aos tributos municipais, estaduais e federal que possam incidir sobre a atividade proposta

7.7. Obedecer aos prazos acordados com a coordenação do edital

 

7.8. Fornecer cópia simples dos seguintes documentos (pdf):

7.8.1.  Se o grupo/companhia não for representado por pessoa jurídica: RG ou RNE (dentro do prazo de validade), CPF, número de inscrição no PIS ou PASEP do representante do grupo.

 

7.8.2. Se houver representação por pessoa jurídica:

7.8.2.1. Contrato Social da empresa, última alteração, se houver, ou estatuto acompanhado da ata de eleição de diretoria no prazo de validade;

7.8.2.1.1. O objeto social da empresa deve ser compatível com o objeto contratual

 

7.8.3. Cópia do CNPJ atualizado

7.8.4. Xerox simples RG/CPF dos representantes da empresa (credenciado no contrato social ou na ata de eleição da diretoria)

7.8.5. Xerox simples RG/CPF do representante do grupo

7.9. Na hipótese de irregularidade na documentação acima, a Vallezen Produções ME – PrismaCultural concederá prazo improrrogável para que o selecionado a regularize, sob pena de sua desclassificação e convocação do suplente.

7.10. Não cabe ao Vallezen Produções ME – PrismaCultural, solucionar impedimentos relativos ao pagamento da remuneração no caso de inadimplência de documentação exigido pela prefeitura de Brusque/SC.

7.11. Fornecer imagens e/ou vídeo para divulgação do espetáculo em mídia produzida pela organização do projeto, conforme for solicitado.

 

  1. DAS OBRIGAÇÕES DA VALELZEN PRODUÇÕES ME – PRISMACULTURAL:

 

8.1. Fornecer a infraestrutura da sala, conforme especificado no item 2. DA SALA DE ESPETÁCULO

8.2. Realizar apoio de Assessoria de Imprensa e divulgar o espetáculo através do seu site e de outros veículos de comunicação

8.3. Oferecer técnicos de luz, de som para auxiliar a montagem e execução do espetáculo conforme disponibilidade da Sala de Espetáculo.

8.4. Disponibilizar, transporte aéreo, Transporte terrestre (Aeroporto NVG x Hotel x Aeroporto NVG), hospedagem (no máximo 03 pernoites c/café da manhã para cada integrante do espetáculo) e alimentação para no máximo três dias (ticket refeição/2 por dia/por integrante do espetáculo). Esse item pode sofrer alteração no caso dos espetáculos nacionais e alternativos dependendo do número e dias de apresentações.

 

Reforçamos que: o transporte aéreo – da capital mais próxima da cidade de origem do grupo e/ou companhia teatral selecionada, até o aeroporto de Navegantes/SC, assim como o trajeto de volta; o transporte terrestre – do aeroporto de Navegantes/SC (salvo espetáculos apresentados em Florianópolis que podem ter seu retorno efetuado através do aeroporto localizado nessa cidade)  até o hotel e o mesmo trajeto de volta.  A hospedagem (no máximo 03 pernoite com café da manhã incluso) do grupo e/ou companhia teatral selecionada (conforme os membros inscritos no Edital) a alimentação (almoço/jantar) – será fornecido no máximo 06 tickts para cada integrante do grupo e/ou companhia teatral selecionada (conforme os membros inscritos no Edital), que dará direito a uma refeição + suco ou refrigerante obs.: a Vallezen Produções ME – PrismaCultural, não prevê pago e/ou reembolso de valores referente a transporte aéreo, transporte terrestre, alimentação e hospedagem efetuados por membros dos grupos e/ou companhias selecionados por este edital. Será ofertado aos selecionados somente o que está descrito acima.

 

Paragrafo único: a compra de bilhetes aéreos está relacionada ao numero de pessoas referenciado no Projeto, em caso de desistência e não utilização da passagem, o valor será debitado diretamente do cache do grupo.

 

  1. DAS PENALIDADES

 

9.1. São aplicáveis, além das penalidades previstas neste instrumento e na legislação aplicável ao caso, as sanções previstas no capítulo IV da Lei Federal nº 8.666/93, na Lei Federal n° 10.520/02 e demais normas pertinentes.

9.2. Pela inexecução total ou parcial do ajuste, a Vallezen Produções ME – PrismaCultural poderá aplicar ao selecionado as seguintes penalidades, sem prejuízo das demais sanções legalmente estabelecidas as quais só deixarão de ser aplicadas nos casos expressamente comprovados, pelo selecionado, da ocorrência de força maior impeditiva do cumprimento do ajuste, ou manifestação da Unidade Requisitante informando que o ocorrido derivou de fatos imputáveis à Administração:

 

9.2.1. Multa de 3% sobre o valor integral da venda de todos os ingressos disponíveis a cada 30 minutos de atraso, a partir do 30º minuto, até o máximo de 9%, quando o contrato, a critério da Administração, será considerado totalmente inexecutado e ao contratado será aplicada a multa prevista para inexecução total prevista no item 9.2.3;

9.2.2. Multa por inexecução parcial do ajuste: 10% (dez por cento) do valor integral do contrato;

9.2.3. Multa por inexecução total do ajuste: 20% (vinte por cento) do valor integral do contrato.

9.2.3.1. Não será aplicada multa por inexecução total se o cancelamento do espetáculo ocorrer com 60 dias de antecedência.

9.2.4. Multa por descumprimento de qualquer das obrigações descritas no item 7: 5% do valor integral do contrato;

9.2.5. As sanções são independentes e a aplicação de uma não exclui a da outra.

 

9.3. O prazo para pagamento das multas será de 5 (cinco) dias úteis a contar da intimação do contratado apenado e será descontado do pagamento devido. Não havendo pagamento, serão aplicadas as sansões contratualmente previstas, sem prejuízo a que a Vallezen Produções ME – PrismaCultural recorra às garantias legais a fim de ressarcir-se dos prejuízos que lhe tenha acarretado a contratada, podendo ainda reter créditos decorrentes do contrato e promover a cobrança judicial, por perdas e danos.

 

  1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS:

 

10.1. A Vallezen Produções ME – PrismaCultural se resguarda ao direito de cancelamento de contrato de espetáculo convidado ou selecionado, com trinta dias de antecedência em caso de não captação do valor necessário para execução das ações do projeto.

10.2. No interesse da Vallezen Produções Me – PrismaCultural e de seus arquivos de memória, os espetáculos poderão ser gravados digitalmente para fins de registro, acervo e divulgação.

10.3. As normas que disciplinam este Concurso serão sempre interpretadas em favor da ampliação da disputa entre os interessados, sem comprometimento da segurança do futuro contrato.

10.4. Os selecionados deverão manter, durante toda a execução do contrato, em compatibilidade com as obrigações assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas no Concurso.

10.5. O Contrato, suas alterações e rescisão obedecerão à Lei Federal nº 8.666/93 e suas alterações posteriores, demais normas complementares e disposições deste Edital, aplicáveis à execução dos contratos e especialmente aos casos omissos.

10.6. As responsabilidades civis, penais, comerciais e outras advindas de utilização de direitos autorais e/ou patrimoniais anteriores, contemporâneas ou posteriores à apresentação da proposta cabem exclusivamente ao(s) grupos(s) selecionado(s).

10.7. A Vallezen Produções ME – PrismaCultural não se responsabilizará em hipótese alguma pelos atos, contratos o compromissos assumidos de natureza comercial, financeira, trabalhista ou outra, realizado pelo selecionado para fins quaisquer de Contrato com a entidade.

10.8. Fica assegurado a Vallezen Produções ME – PrismaCultural o direito de, no interesse da Administração, anular ou revogar, a qualquer tempo, no todo ou em parte, este Concurso, dando ciência aos participantes, na forma da legislação vigente.

10.9. Os proponentes assumem todos os custos de preparação e apresentação de suas propostas e a Vallezen Produções ME – PrismaCultural não será, em nenhum caso, responsável por esses custos, independentemente da condução ou do resultado do concurso.

10.10. A Vallezen Produções ME – PrismaCultural reserva-se o direito de utilizar o nome e imagem dos participantes para fins promocionais, os quais ficam automática e ilimitadamente cedidos a mesma.

10.11. Todos os direitos de utilização e imagem dos trabalhos selecionados, assim como direitos conexos do autor, ficam cedidos a Vallezen Produções ME – PrismaCultural, no ato da contratação.

10.12. Os casos omissos serão resolvidos pela direção da Vallezen Produções ME – PrismaCultural.

10.13. Fica ressalvada a possibilidade de alteração das condições contratuais em face da superveniência de normas federais e municipais disciplinando a matéria.

10.14. Na contagem dos prazos estabelecidos neste Edital, excluir-se-á o dia do início e incluir-se-á o do vencimento. Só se iniciam e vencem os prazos em dias úteis.

10.15. Fica desde logo eleito o Foro do Município de Brusque/SC – Vara da Fazenda Pública para dirimir quaisquer controvérsias decorrentes do presente.

 

 

Brusque/SC, 15 de Agosto de 2017.

 

Sérgio Luiz Valle

Vallezen Produções ME – PrismaCultural

2º Oficina de Portfólio com Flávia Duzzo e Karina Zen

A 2º oficina de portfólio é destinada a artistas, fotógrafos e profissionais da área da cultura que tenham interesse em elaborar um portfólio para a apresentação e circulação do seu trabalho.

Onde: PrismaCultural – Av Getúlio Vargas, 209, sala 11, Ed. Panorama – Brusque, SC
Quando: 02 de setembro, 10h – 12h/13:30 -17:30
Investimento: R$ 120,00 – VAGAS LIMITADAS
Inscrição através do email: contato@prismacultural.com.br
Informações: (47) 3351 5137
_______________________________________________
Sobre a Oficina:
Um portfólio bem estruturado e sua constante atualização é hoje uma ferramenta fundamental para auxiliar a inserção de trabalhos desenvolvidos no campo das artes visuais, da fotografia e em outras áreas da cultura. Este instrumento favorece o entendimento de projetos propostos para editais, salões de arte ou fotografia, mostras coletivas, bolsas, residências ou outros processos seletivos nessas áreas.
Tal tarefa, no entanto, se mostra muitas vezes difícil quando estamos muito habituados com nosso próprio fazer, sem termos o distanciamento necessário para examinar, organizar e mesmo hierarquizar a apresentação de nossa produção.

A proposta da oficina é que os participantes pensem o seu trabalho em diálogo com os demais, descubram novas produções e a partir delas organizem sua prática artística e profissional.
Com exercícios práticos, pretende-se que os participantes construam um portfólio artístico que contemple a seleção dos trabalhos e sua sistematização, as informações que devem acompanhá-los e sua editoração.

Quem é Flávia Duzzo:
Flávia Duzzo é pós-doutoranda pelo programa de pós-graduação em Artes Visuais – UDESC; Doutora em Artes Visuais (poéticas visuais) pelo ppgav- UFRGS/RS (2014); Mestre em Artes Visuais (teoria e crítica) pelo ppgav– CEART/UDESC (2007) Vive e trabalha em Florianópolis. Desenvolve sua produção nas linguagens de desenho e pintura.
Entre principais exposições individuais estão: Desenhos (MASC – 2016-2017); Desenho: Inscrição e Dobra (MAJ – 2014); Flávia Duzzo – Desenhos (Galeria Iberê Camargo – 2011); Desenhos – Flávia Duzzo (MAC – Curitiba – 2010); Flávia Duzzo – Metadesenho (Museu Victor Meirelles – 2009).
Entre as coletivas se destacam: Plano Espaço (MAJ – 2010); Rota Imaginária – Panorama SESC de Artes Visuais (Joinville – 2009); Um espelho no Acervo (MASC – 2009).
Salões: Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea (Sala Lindolf Bell – Florianópolis -2016); 4o Prêmio Belvedere Paraty de Arte Contemporânea (Paraty – 2013); 12o Salão Nacional de Artes de Itajaí (2010); 15o Salão UNAMA de Pequenos Formatos na Universidade da Amazônia (Belém – 2009).
Premiada no Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura – Florianópolis/SC (2009).

Quem é Karina Zen:
Karina Zen vive e trabalha em Florianópolis. Desde 2008, embora seu início seja marcado pela fotografia, com especialização obtida no CFP Bauer, em Milão a artista realiza exposições e mantém uma prática que se desdobra em diferentes linguagens. Realizou The Final Cut, exposição individual com curadoria de Josué Mattos (Masc, 2016-2017).
Modos de Permanência (Centro Universitário Maria Antônia, São Paulo). Entre as exposições coletivas que participou nos últimos anos, destacam-se: Porque somos elas e eles, (Blau Projects), XVIII Bienal de Cerveira (Cerveira, Portugal), VI Premio Diário Contemporâneo de Fotografia;, Vídeos da Coleção MAR, (Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro), Eu fui o que tu és e tu serás o que eu sou, curadoria de Josué Mattos (Paço das Artes, São Paulo) e Contin[g]ente, curadoria de Guy Amado (Arquipélago, Florianópolis).
Participou de três edições do Arte Pará (28ª, 30ª e 32ª), do 60º Salão de Abril (Fortaleza), 12º Salão Nacional de Artes de Itajaí e do 43º SAC – Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba.
Entre os prêmios recebidos, estão: 32° Arte Pará, Belém/PA; Premio Elisabete Anderle de Estímulo a Cultura – Florianópolis; 3° Prêmio Belvedere Paraty de Arte Contemporânea – Paraty/RJ; Salão de Arte de Mato Grosso do Sul/MS; 11° Salão de Artes Visuais de Guarulhos/SP.

3º – BQ(en)cena

Estão abertas as inscrições para a seleção de espetáculos teatrais que vão compor a terceira temporada do BQ(en)cena, em Santa Catarina. Válidas para todo território nacional, as inscrições são gratuitas e totalmente online e podem ser feitas até o dia 13 de setembro (23h59) pelo site www.prismacultural.com.br.

Com realização do Ministério da Cultura e PrismaCultural, o edital selecionará 22 espetáculos teatrais: seis nacionais, nove espetáculos estaduais (propostas vindas de todo território nacional), dois locais (propostas vindas de Brusque, Guabiruba, Botuverá, Nova Trento, São João Batista, Canelinha, Tijucas e Major Gercino) e mais cinco espetáculos alternativos (propostas vindas de todo território nacional), que possam ser apresentados em espaços alternativos, durante a nova temporada.

Nas duas edições anteriores do BQ(en)cena foram apresentados 53 espetáculos, com público de cerca de 10 mil pessoas. Os dois editais anteriores receberam juntos 436 inscrições, provenientes de 15 estados brasileiros, mais Distrito Federal, números que comprovam a importância da temporada de teatro produzida e realizada pela PrismaCultural desde 2015.

 

Apresentações

A nova temporada do BQ(en)cena ocorre de setembro de 2017 a abril de 2019, tendo suas datas e horários definidos após a seleção dos grupos. Os espetáculos nacionais terão três apresentações por mês (duas apresentações na cidade de Florianópolis e uma apresentação na cidade de Brusque), os espetáculos estaduais e locais terão duas apresentações por mês na cidade de Brusque, e os espetáculos alternativos vão ter quatro apresentações no mês a ser definido, que vão ocorrer nas cidades de Brusque, Botuverá, Guabiruba e/ou Nova Trento, em Santa Catarina.

“Proporcionar ao público um contato maior com o mundo das artes cênicas, garantir o acesso das pessoas à produção artística do país e, ao mesmo tempo, oportunizar que os profissionais de teatro possam difundir sua arte à comunidade. Esses são os maiores objetivos do projeto”, comenta o diretor da PrismaCultural, Sérgio Valle.

O 3º BQ(en)cena terá 60 apresentações durante a temporada de 2017/2019, com público estimado de 15 mil pessoas. “O formato da temporada de Teatro em Brusque chama a atenção por ser um projeto inovador, uma temporada de longo prazo, com cronograma de apresentações mensais, trazendo para Brusque e região espetáculos de qualidade e relevância nacional, atendendo aos mais diversos públicos, com venda de ingressos a preços populares”, acrescenta Valle.

Assessoria de Imprensa: Nane Pereira

Fotos: Luís Brusque / 2BQ(en)cena

 

 

“Paixão e Morte de um Homem Livre” 2017

“Paixão e Morte de um Homem Livre” é considerada uma das maiores e mais belas peças teatrais do sul do país, que narra momentos especiais da vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Realizada desde 1981 em Guabiruba, a peça nasceu como um musical, apresentado por grupos de jovens da cidade. Logo depois, passou a ser apresentada na capela do Bairro São Pedro, nas celebrações pascais. Reunindo um número sempre maior de expectadores, o projeto se transformou em teatro e passou a ocupar o palco do salão comunitário e as escadarias da igreja. Por fim, estava nas ruas, encenado na carroceria de um caminhão em forma de via-sacra.

Só em 1997, 16 anos depois da fundação, o espetáculo ganhou uma casa suficientemente grande para acolher quem não se cansa de assistir e se emocionar com a história de Jesus. O pátio da Capela São Cristóvão, no bairro Aymoré, que permite a instalação de palcos e passarelas distribuídos em sete mil metros quadrados. A estrutura é erguida a céu aberto, com expressivo volume de som e iluminação.

Os números do teatro também são gigantescos: 400 colaboradores, todos voluntários, entre atores e equipe técnica, completamente entregues ao espetáculo, assistido por mais de 8 mil pessoas a cada edição.

O espetáculo Paixão e Morte de um Homem Livre 2017, foi apresentado nos dias 13 e 14 de abril, respectivamente; quinta às 21h e sexta-feira às 19h30, no Pátio da lgreja São Cristóvão, no Bairro Aymoré, em Guabiruba.

Nesta edição o enredo da paixão, morte e ressurreição de Jesus apresentou Maria como narradora. Para a direção do espetáculo, ninguém melhor do que a mãe para contar a história de seu filho. Ela, que concebeu o salvador, é inspiração de fé e resiliência. Educou o menino, caminhou ao seu lado, guardou tudo no coração e esteve lá, em pé, diante da cruz.  A apresentação envolveu mais de 400 atores voluntários e contou com a presença do ator convidado – Francisco Cuoco, interpretando o Sumo Sacerdote Neftali.

Outra novidade desta edição foi a proximidade com o público, onde durante a apresentação houve momentos de interação junto aos expectadores. O espetáculo teve duração de duas horas e meia, emocionando a todos que estiveram presentes.

 

Realização: Ministério da Cultura e AACSP

Coordenação de projetos incentivados: PrismaCultural

Aqueles Dois – Cia Luna Lunera

d1648d54-62bf-4ef0-a620-5468feff5209

Aqueles Dois – Cia Luna Lunera

Sinopse

AQUELES DOIS conta a história de Raul
e Saul, dois novos funcionários de uma
repartição (metáfora para qualquer
ambiente inóspito e burocrático de
trabalho), que desenvolvem um forte
laço de cumplicidade.

” num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra”
No entanto, essa relação acaba gerando incômodo nos
demais colegas de profissão. O espetáculo AQUELES
DOISfoi criado a partir do conto homônimo do escritor
gaúcho Caio Fernando Abreu.

A Obra e O espetáculo

O conto “Aqueles Dois” foi publicado em “Morangos
Mofados” (Brasiliense, 1982) e foi selecionado
para integrar o livro “Os Cem Melhores Contos
Brasileiros do Século” (curadoria de Italo Moriconi,
Objetiva, 2000).
Texto e montagem, juntos, possibilitam uma
diversidade de leituras e percepções sobre o
universo “daqueles dois”. Os atores revezam-se
nos papéis de Raul e Saul, narram trechos,
sugerem os outros personagens da “repartição” e
inserem suas próprias referências e leituras para
o texto de Caio. Há uma intencional simultaneidade
no cenário, no figurino, na música e no texto,
abrangente a várias décadas. Leveza, densidade
e humor se conjugam de forma harmônica e
acessível ao público.

Dia 17 e 18/08, às 19h:30 , no Teatro do CESCB – Brusque – SC.

Pequeno Inventário de Impropriedades – Max Reinert / Téspis Cia de Teatro

pequeno_inventario_arte_site_banner_principal

 

 

Pequeno Inventário de Impropriedades:
Das violências virtuais às violências cotidianas

Um exercício de escrita sem nenhuma pretensão. É assim que Max Reinert, criador do blog “Pequeno Inventário de Impropriedades”, define a sua entrada no mundo dos chamados “diários virtuais”. O que poderia ser apenas um emaranhado de palavras de desabafo aliadas à textos com significados distintos, transformou-se em rotina. E uma rotina séria! Da rotina, nasceram novas idéias, como os textos de ficção. E, dali por diante, a interação com os internautas – cada vez maior – começou a fazer algum sentido.

Os textos de ficção sempre recebiam comentários de que poderiam virar cenas ou até curtas-metragens. Despertavam imagens nas pessoas”, destaca. Foi esse feedback que fez nascer no blogueiro – que, antes de tudo, é ator, diretor e um dos fundadores da Téspis Cia de Teatro – a vontade de levar aos palcos as ideias colocadas na web. “Por ocasião do edital do Prêmio Miriam Muniz de Teatro da FUNARTE e, com minha entrada para o Núcleo de Dramaturgia do SESI Paraná, precisava criar um projeto, algo que pudesse virar um espetáculo de verdade. Então, reuni o material do blog e enviei para esses lugares. Mais tarde, mandei também para o Edital Elisabete Anderle. Todos os projetos foram aceitos”, conta Max. Assim, a Cia teve a possibilidade de transformar em realidade o que, à princípio, era somente uma ideia.

A peça conta a história de um homem que vive dentro de um cotidiano previsível e repetitivo, até que um acontecimento muda o seu rumo. “Ele sai de uma vida ordinária e descobre o poder da violência latente dos dias de hoje. Ficção e realidade se misturam, até não conseguirmos distinguir onde uma começa e a outra termina”, revela a diretora da peça, Denise da Luz – que, ao lado de Reinert, também é uma das fundadoras da Téspis.

Na ficha técnica do espetáculo ainda figuram nomes como o de Hedra Rockenbach, responsável pela ambientação sonora, e Bruno Girello, que criou a iluminação da peça. Hedra assina o trabalho de som da Cia de Dança Cena 11 – grupo referência na dança contemporânea brasileira e tem um trabalho considerado inovador e urbano. Utiliza-se de elementos ligados à música eletrônica que, aliados a sua voz inconfundível e sua guitarra, resultam em sons bastante peculiares. Já Bruno é um jovem iluminador de Curitiba (PR), que se destaca pela forma peculiar com que trabalha a luz, utilizando-se de poucos elementos, que dão um efeito poderoso no trabalho. Atualmente, Bruno também atua como assessor de produção da Sutil Cia. de Teatro, do diretor Felipe Hirsch.

O processo de construção do texto do espetáculo durou oito meses e foi acompanhado pelo dramaturgo Roberto Alvim, que reside em São Paulo (SP) e é ministrante da oficina regular do Núcleo de Dramaturgia do SESI Paraná (da qual Reinert faz parte). “O texto recebeu diversas leituras e, com a colaboração dos participantes do núcleo, chegamos ao texto final”, explica Max. Já o processo de ensaios teve duração de cinco meses. “Uma das coisas mais interessantes dos ensaios foi ter que ‘re-descobrir’ o texto que eu havia escrito, dessa vez conduzido pelas mãos da diretora. Transformar o que era um ‘conceito de dramaturgia’ em palavras e ações executadas por uma pessoa na cena foi um desafio”, relembra o ator.
Desde sua estréia no Teatro da UBro (Fpolis) em abril de 2010, o espetáculo já é dos trabalhos da Cia. que mais circulou pelo país. Além de suas temporadas, participou de inúmeros festivais, sendo sempre reconhecido pelo público e pela crítica especializada. Porto Alegre em Cena, Festival de Curitiba, Caxias do Sul em Cena, Floripa Teatro, Festival de Teatro do Acre, além de 25 cidades do estado de Santa Catarina já foram visitadas pelo espetáculo.

Duas vezes ganhador do prêmio de Melhor Texto Original (XII Festival Nacional de Teatro de Americana – SP – Edição 2010 e * VI Festival Nacional de Teatro de Limeira – SP – em 2010), o espetáculo foi contemplado também com o  Prêmio FUNARTE Miriam Muniz de Teatro e o Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura.

 

Um,Dois,Três:Alice

123_alice_arte_site

DADOS DO ESPETÁCULO

Nome: Um, Dois, Três: Alice!

45min

livre

Categoria: Infanto-Juvenil

Ficha Técnica

Dramaturgia e encenação: Max Reinert Atuação: Denise da Luz, Jônata Gonçalves e Cidval Batista Jr Figurinos: Denise da Luz Vídeos e animações: Leandro de Maman Operação técnica: Emanuele Weber Mattiello Cenotecnia: Fer-Forge Assessoria de Imprensa: Jônata Gonçalves Produção: Téspis Cia. de Teatro

Vídeos

Espetáculo na íntegra: https://youtu.be/bYocr4YdXK0 Trailer: https://youtu.be/zQcKKr7vv7A

Outras informações

Release: Conte até três e entre no jogo do novo espetáculo da Téspis Cia. de Teatro

Contada através da literatura, cinema e teatro por inúmeras vezes, adaptada de diversas maneiras para crianças e adultos, a imortal obra de Lewis Carroll ganha uma nova leitura pela Téspis Cia. de Teatro. Livremente inspirada em “Alice no País das Maravilhas” e “Alice através do espelho”, a Cia. de Itajaí tem a satisfação de apresentar o seu novo espetáculo para crianças de todas as idades: Um, Dois, Três: Alice!

Para reconstruir o universo fantástico criado por Carroll, a Cia. aposta na ressignificação dada para objetos comuns e cotidianos, encontrados facilmente na casa de qualquer pessoa. Além disso, através do jogo de cena apresentado pelos atores, o espetáculo abre um campo imaginário facilmente reconhecível nas brincadeiras infantis. Onde, nesse caso, todos podem ser Alice e correr atrás do coelho, ou ser o Chapeleiro Maluco e se deliciar com um pontual e inusitado chá das cinco. “Se por um lado tudo já parece ter sido feito com esta obra, percebemos que algumas ideias que temos sobre ela não passam de uma pequena parte de seu potencial gerador de signos e relações criativas. Dessa forma, optamos por jogar com todas as ideias que tínhamos pré-estabelecidas sobre as Alices de Carroll e também com a linguagem com a qual ele estabelece em seus dois livros utilizados para construir essa encenação”, explica Max Reinert, diretor do espetáculo.

A complexa obra de Carroll é conhecida pelo sentindo nonsense e pela ambiguidade nas particularidades de cada personagem que Alice encontra em meio à sua aventura. Essa característica é potencializada e explorada dentro do processo de montagem do espetáculo. Aliás, essas são ferramentas que a Cia. utiliza para que o público se divirta através das situações inusitadas criadas nesse diálogo entre os atores e a própria obra de Lewis Carroll. “A Alice construída pela Téspis Cia. de Teatro acredita no jogo. Acredita na capacidade dos espectadores em construir, a partir das sugestões dadas pela encenação, sua própria versão da história e dos personagens. Acredita que a sugestão, em muitas ocasiões, pode ser mais interessante que a apresentação de uma imagem em sua totalidade”, completa Reinert.

Portanto, não se prenda a lógicas corriqueiras e nem a ideias pré-concebidas. Aceite o jogo e jogue com os atores através da corporalidade e dos elementos lúdicos utilizados em cena. Venha e mergulhe de cabeça dentro da toca do coelho. Deixe-se afetar pelas fantasias e maravilhas que Alice encontra em sua jornada. Aproveite porque o tempo é curto e corre feito um coelho e ao final de tudo a Rainha o aguarda para um jogo de críquete.

Um, Dois, Três: Alice! estreou no auditório da Casa da Cutura Dide Brandão de Itajaí em 29 de junho de 2013. Realizou apresentações no Teatro Municipal de Itajaí, ainda em 2013, e participou dos seguintes eventos: * FESTER – Festival Nacional de Teatro de Resende, RJ, em 2013. * FESTE – Festival Nacional de Teatro de Pindamonhangaba, SP, em 2013. * Téspis – 20anos – comemoração dos 20 anos da Cia, em 2013. * Emcena Catarina – Projeto de circulação de espetáculos teatrais do SESC-SC, por 25 cidades do estado, em 2014. * Maratona Cultural, em Florianópolis, SC, em 2014. * Festival Nacional de Teatro de Chapecó, SC, em 2014. * FITUB – Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau, SC, em 2014. * FITA Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação, SC, em 2014. * FENATIB – Festival Nacional de Teatro Infantil de Blumenau, SC, em 2014. * FETEL – Festival Nacional de Teatro de Lages, SC, em 2014. * FENATA – Festival Nacional de Teatro de Ponta Grossa, PR, em 2014 (indicações para Melhor Espetáculo, Direção, Iluminação e Sonoplastia). * FENTEPP – Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente, SP, em 2014. * FECATE – Festival Catarinense de Teatro, em Concórdia, SC, em 2015. * Floripa Teatro – Festival Nacional de Teatro Isnard Azevedo, em Florianópolis, SC, em 2015.

 

A Descoberta das Américas

edital_fase02_espetaculo08_arte_site

 

Texto original do Italiano DARIO FO

Prêmio Nobel da literatura em 1997, direção da Italiana ALESSANDRA VANNUCCI e performance do ator carioca JULIO ADRIÃO, Prêmio Shell de Melhor Ator visto por mais de 250 mil pessoas em cerca de 400 apresentações pelo Brasil e exterior.
APRESENTAÇÃO

O espetáculo A Descoberta das Américas desde 2005 vem traçando um caminho abrangente geograficamente e diverso se levarmos em conta os variados públicos e ambientes que já percorreu.

Pequenas cidades do interior a grandes centros cosmopolitas, circuitos universitários a longas temporadas em casas e salas de teatro já reconhecidas por acolher atividades do gênero, e a participação nos mais expressivos festivais do Brasil possibilitaram uma grande diversidade de público com o espetáculo solo de Julio Adrião, que a partir de um sofisticado aparato técnico de interpretação e da quase ausência de recursos técnicos em cena, conta “parte da história da nossa história” e propõe uma reflexão sobre os princípios de nossa colonização

“Julio…você é o ator mais despudorado,mais nu, mais liberto de qualquer convenção;dominando músculo,língua, voz, olhos, tudo de uma maneira que não esquecerei.”[Sergio Brito]

“ O ator está absoluto em cena…A intensidade que o ator empresta à passagem do tempo e as peripécias do homem revela recursos para atuação consistente.” [Macksen Luiz -Jornal do Brasil
26/10/2005]

“Jamais em minha vida vi o clássico e o popular, o épico e o romântico em tão perfeita harmonia como nesse espetáculo”[Fausto Wolff – Jornal do Brasil 05/02/2006]

“O trabalho de Júlio Adrião é de primeira ordem, uma obra de ourivesaria em detalhe que preserva a ilusão de improvisação, o fluxo da narrativa dando sempre a idéia de que foi falar de um detalhe que provocou a lembrança do seguinte.”[Bárbara Heliodora-O Globo 27/10/2005]

Um dos maiores sucessos da década, a premiada ‘A Descoberta das Américas’, rendeu Prêmio Shell de melhor ator ao ator Julio Adrião que iniciou oitavo ano de itinerância!

A Descoberta das Américas, de Dario Fo, direção de Alessandra Vannucci, continua navegando no talento do ator Julio Adrião mundo adentro, Brasil afora.

O texto de Dario Fo, inspirado em fatos reais narrados pelo navegador e cronista Álvar Núñes Cabeza de Vaca, revisita de maneira irônica e crítica episódios ocorridos na Flórida do século XVI. Mas a história poderia ser bem daqui, da terra brasileira.

O sujeito conta com admirável maestria os fatos que se sucederam lá pelos idos de 1492, quando, por acaso, ele embarcou em Sevilha numa caravela de Cristóvão Colombo. É um tal de entrar em navio errado, domar cavalo bravo, escapar de virar sopa de índio antropófago, engambelar espanhol metido a esperto, que só vendo, tudo num incontável mix de sotaques, mímicas e interpretações do ator Julio Adrião.

Em 2005, ano da estreia oficinal na cidade do Rio de Janeiro, o espetáculo foi vencedor do Prêmio Shell de melhor ator e, em seguida, eleito pelo Jornal O GLOBO-RJ uma das 10 melhores peças do ano. Entre diversas apresentações em festivais no Brasil e exterior o ator Júlio Adrião cumpriu em 2010 circulação com Patrocínio da BR Petrobras Distribuidora e Governo Federal através da Lei Rouanet, passando por diversas cidades da região Nordeste do Brasil.

A Descoberta das Américas representou o Brasil no FITEI, Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica e antes disso, brilhou no festival MITO, realizado na cidade de Oeiras, onde arrancou aplausos ininterruptos durante 10 minutos. Da cidade lusitana saiu com outro convite para 2010, o festival MindelAct em Cabo Verde.

Segundo Adrião, ”’A descoberta das Américas’ me levou a descobrir o Brasil e, mais recentemente, Portugal, abrindo nossas portas para Cabo Verde e Angola fazendo agora o caminho de volta das grandes descobertas”.

Em 2013 entra seu oitavo ano de itinerância voltando a Portugal pela 3a vez dessa vez com a Mostra de Teatro na Universidade de Coimbra, passando em seguida pela cidade do Porto e Lisboa e no mesmo semestre aportando em Londres no Casa Festival 2012 e Espanha no Festival de Teatro de Ourense – FITO.

Nesses oito anos de carreira do espetáculo considerando todos os circuitos com patrocínios de instituições como Caixa Econômica, Petrobrás – BR Distribuidora, SESI, SESC’S, e todas as temporadas em teatros do Rio de Janeiro como Teatro Leblon, Teatro dos Quatro – Shopping da gávea, Teatro Serrador somamos um quantitativo que ultrapassa a marca 3,5 MILHÕES EM MÍDIA ESPONTÂNEA.

CONCEPÇÃO

A Descoberta das Américas propõe uma renovação da linguagem teatral, apostando na simplicidade, lançando mão de recursos indispensáveis e de um registro de interpretação enérgico, dinâmico que estabelece uma comunicação direta e próxima do público.

Um ator só em cena, sem aparato (cenário, figurino, iluminação e até texto são reduzidos ao mínimo), atua num estado essencial, de emergência. O protagonista da Descoberta, acossado por uma cruel economia da fome que o faz engenhoso, quer sobreviver justamente para narrar sua história. Para dar vida a todos os personagens – índios, espanhóis, cavalos, galinhas, peixinhos, Jesus e Madalena – ele estabelece um pacto de cumplicidade com os espectadores.

Cria com eles um código gestual, mímico e sonoro que substitui paulatinamente a fala. Cada detalhe provoca a lembrança do seguinte, como numa história contada de improviso e pela primeira vez.

http://vimeo.com/37993624

 

Julio Adrião (1960) é carioca, ator, produtor e diretor teatral. Formado pela CAL em 1986, trabalhou seis anos na Itália com o Teatro Potlach de Fara Sabina e outras companhias. De volta ao Brasil, em 94, dirigiu o espetáculo de circo-teatro Roda saia, gira vida do Teatro de Anônimo – Prêmio Mambembe de melhor espetáculo 1995 – e a Ópera cômica O elixir de amor, de Donizetti, na escola de música da UFRJ, com direção musical de Ernani Aguiar. Integrou o trio cômico Cia. do público desde a sua formação até 2002, quando realizaram Ruzante. Nesta ocasião, criou com Sidnei Cruz e Alessandra Vannucci o núcleo de produção leões de circo pequenos empreendiment os. Em 2005, com o solo narrativo A descoberta das Américas, de Dario Fo e com direção de Alessandra Vannucci ganhou o Prêmio Shell/RJ de melhor ator. Em 2007, participou da Mini-Série Amazônia, da Rede Globo, no papel de Távora – professor de Chico Mendes criança. Em 2008 participou do Filme Verônica, de Maurício Farias, no papel do traficante Rui e, em 2009, foi convidado pela Nat Geo – (Inglaterra) para o papel do traficante John, na série Locked up abroad – Brazil (Férias na prisão). Ainda em 2009, filmou Sudoeste, com direção de Eduardo Nunes, no papel de Sebastião. Em 2010, foi o Governador Gelino, em Tropa de Elite 2 e o Dr. Guido, em A quente, a frio, de Juliana Reis.

Alessandra Vannucci : Dramaturga e diretora formada na Itália, desde 1996 vive entre lá e o Brasil onde fundou o selo Leões de Circo com Júlio Adrião e Sidney Cruz. Seus mestres foram Luca Ronconi, Benno Besson, Augusto Boal, Eugenio Barba, Donato Sartori. Entre os trabalhos no Rio de Janeiro: Ruzante (2002); A descoberta das Américas de Dario Fo (2005, prêmio Shell para o ator Júlio Adrião), Pocilga (2006), Náufragos (2009), Café de Carlo Goldoni (2010) e Felinda. Na Itália, como dramaturga, assinou as últimas sete peças do Teatro Cargo (Gênova) e foi recentemente indicada ao Premio UBU Melhor Dramaturgia. Como diretora, realizou I Magi (2005, Teatro dell’Opera de Gênova), Arlecchino a ll’inferno (2007, Bienal de Veneza, Premio Arlecchino d’oro para o ator Enrico Bonavera), Sancio Panza e il cavaliere (2008, Festival Internazionale Castel dei Mondi, com Lello Arena); Makunaima- Cattivo selvaggio (2008, MalaFestival – Turim, com Júlio Adrião e imagens concedidas por Sebastião Salgado). Como assessora cultural do Istituto Italiano di Cultura-Rio, realizou os eventos: Acadêmico de academia nenhuma (sobre Giordano Bruno, Teatro Carlos Gomes, 2003); Brasil mediterrâneo (doze clássicos da comédia no Teatro Planetário, 2004); Infinitos universos e mundos (sobre Giordano Bruno e Galileu, Fundação Planetário, 2005); A arte da máscara teatral (Caixa Cultural 2008, com vinda do mestre Sartori e da peça Arlequim no inferno). È ativista de Teatro do Oprimido. Desenvolve projetos de cidadania com não-atores em bairros desfavorecidos, escolas e presíd ios. Recebeu o Premio de Interações Estética e Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2009/2010 com o projeto Madalena – Teatro das Oprimidas.

Doutora em Letras, è professora de Interpretação e Teoria do Teatro.

FICHA TÉCNICA

Tradução e adaptação: Alessandra Vannucci e Julio Adrião
Direção: Alessandra Vannucci
Performance: Julio Adrião

Figurino: Priscilla Duarte
Iluminação: Luiz André Alvim
Fotografias: Débora Amorim
Projeto Gráfico: Ruth Lima
Produção: EmCartaz Empreendimentos Culturais Produção Executiva: Thaís Teixeira Administração: Julio Adrião Produções Artísticas Ltda.

Espetáculo De Malas Prontas!

3 - de_malas_prontas_post_02

 

“De  Malas  Prontas”  é  uma  comédia  irreverente  sem  fala,  que conta  a     história  de  duas  mulheres  obrigadas  a  compartilhar  o mesmo banco de um aeroporto…
No  desenrolar  do  espetáculo  se  percebe  que  compartilhar  não  é tão  fácil  assim  e,  os  conflitos  se  sucedem  velozmente  até  a situação chegar a um ponto sem retorno, e só há uma saída:
A GUERRA!
De  maneira  bem  humorada  mergulha-se  no  mundo  dos  conflitos que  povoam  nosso  cotidiano  e  da  vil  batalha  que  enfrentamos em nosso dia a dia para lograr e sobreviver.
A vida é feita de pequenas guerras!
E de grandes misérias!

 

 

Oficina/Montagem Ficha de Inscrição

ficha_iscrição_oficina_montagem_2o_BQ

release_oficina_montagem_(2sv)

2º Brusque em Cena abre as inscrições para a sua Oficina/Montagem

Ação pretende colaborar com o fomento da produção local de teatro

Como parte das ações do 2º BQ(en)Cena, a PrismaCultural abre as inscrições para a Oficina/Montagem. A ação destinasse as pessoas com idade superior a 12 anos que tenham interesse em fazer teatro ou que já possuem alguma trajetória no meio artístico ou de produção como: iluminação, cenário, figurino, direção, dramaturgia, sonoplastia entre outras funções necessárias para a montagem de um espetáculo. Os encontros acontecerão no Teatro do Centro Empresarial, Social e Cultural de Brusque (CESCB) entre março e agosto deste ano e ao final deste processo pretendesse apresentar um espetáculo resultante da oficina/montagem como parte da programação da Temporada de Teatro.

 

Oficina/Montagem

A oficina/montagem é uma ação resultante do levantamento da PrismaCultural junto ao setor teatral local e de suas observações da cena teatral de Brusque e seu entorno e visa oportunizar em um ambiente favorável a descoberta de talentos e o seu incentivo, na expectativa de promover novas montagem e porque não a formação de novos grupos teatrais, além de estimular a indústria criativa.

A oficina/montagem será desenvolvida por Silvio da Luz e contará com a produção da PrismaCultural. A mesma destina-se não somente aos interessados em atuar em um espetáculo teatral, mas aqueles que tenham interesse em desenvolver ações nos campos da produção, iluminação, cenário, figurino, direção, dramaturgia, iluminação, sonoplastia entre outras funções necessárias para a montagem de um espetáculo. Serão selecionados até vinte participantes mediante análise das inscrições e uma entrevista presencial, que ocorrerá no final de fevereiro/16.

 

Inscrições

As fichas de inscrição estão a disposição dos interessados no site www.prismacultural.com.br e deverão após preenchidas serem encaminhadas para o e-mail: contato@prismacultural.com.br. Todos os inscritos receberão uma confirmação via e-mail da sua inscrição e orientações quanto ao dia da entrevista presencial.

“A oficina/montagem é uma ação de fomento ao teatro na região, visando principalmente arregimentar novos talentos para a produção teatral, incentivando uma ampliação de ações ligadas a economia criativa”, reforça o diretor da Prisma Sérgio Valle.

 

A Ação

Oficina/Montagem Teatral

Dividida em dois módulos, com duração de aproximadamente 200 horas que terá como foco a experimentação de um processo criativo em teatro. No primeiro módulo o foco será o estudo da presença cênica calcada na fiscalização do ator. Buscando que o participante ganhe confiança para criar, encontre em seu instrumento – corpo, voz, inteligência e sensibilidade – possibilidades múltiplas de expressão, estímulo para lidar com suas dificuldades, intimidade com o espaço e dramaturgia característicos do teatro.

No segundo módulo o foco será a Montagem de um espetáculo abordando o estudo da criação do personagem, com abordagens sobre a teoria do trabalho do ator.   O foco do trabalho é a relação individualizada entre o participante e sua expressividade, a expressividade do outro, o espaço, a verdade cênica. E, sobretudo, com o real entendimento de cooperação, produção coletiva e trabalho em equipe.

O diferencial da oficina é o foco sobre o ator criador ofertando no primeiro módulo ferramentas para o ator desenvolver sua técnica pessoal através do Treinamento Cotidiano do Ator e no 2º módulo pondo em relação a dramaturgia do ator e do autor.

 

  1. OBJETIVOS:

3.1. OBJETIVO GERAL: Montar um espetáculo teatral e realizar seis apresentações na temporada de teatro em 2016.

 

3.2. OBJETIVO ESPECÍFICO:

  • Preparação do aluno/ator;
  • Consciência do corpo no espaço;
  • Pesquisar a estética / autor e obra;
  • Desenvolver questões relativas à criação de personagens;
  • Vivenciar os processos de produção de um espetáculo: cenografia, figurino e produção;
  • Desenvolver a montagem de um espetáculo;
  • Realizar as seis apresentações na Temporada de Teatro em 2016;

 

OBJETIVO:

 

Geral:

 

Promover a conscientização e a valorização do indivíduo por meio da arte,potencializando a presença do ator em cena, fortalecendo o comprometimento e a qualidade artística.

 

ESPECÍFICOS:

  • Desenvolver espírito de coletividade;
  • Desenvolver coordenação motora;
  • Desenvolver potencialidades criativas;
  • Ampliar seus conhecimentos corporais e vocais;
  • Utilização, articulação dos elementos cênicos e do espaço.
  • Expor suas ideias em grupo.
  • Reproduzir sua realidade artisticamente, utilizando-se de seu corpo, sua voz e suas ações;

 

CONTEÚDOS TRABALHADOS:

1º MÓDULO

 

  • Treinamento Psíquico Físico (Treinamento do corpo e da mente, forma de transcender o corpo cotidiano);
  • Consciência do corpo no espaço;
  • Despertar da respiração e relação da respiração com a energia do corpo;
  • Observação e imitação da vida do cotidiano;
  • Jogo teatral: a ação não-intencional;
  • Introdução às regras do jogo teatral: ação/reação, tempo, duração, ritmo, timing.

 

AULAS TEÓRICAS: (Serão intercaladas no processo)

 

  • O que é que caracteriza um texto teatral;
  • O que é Grupo de Teatro;
  • Como se realiza um trabalho em Grupo no Teatro;
  • Estudo das teorias do ator;
  • Estudo do tema que será realizado – Pesquisa e Formação;
  • Estudo do texto que será montado ou que será escrito para o Grupo.

 

2º MÓDULO: (PRÁTICA DE MONTAGEM)

  • Exercícios de unidade e prontidão;
  • Exercícios de unidade e prontidão;
  • Exercícios de integração e foco;
  • Trabalho corporal aplicado;
  • Trabalho de caracterização e maquiagem, aplicados a proposta;
  • Estudo cenográfico e estético;
  • Noções de Produção;
  • Ensaios programados;
  • Elaboração e Montagem;
  • Estudo da trilha sonora e conceitos de iluminação e adereços (de acordo com a proposta);
  • Ensaios gerais
  • Estudo e definição do material de divulgação pelo Grupo;
  • Finalização da Proposta
  • Apresentações Públicas

 

  • Avaliação final do processo de formação.
  • Exercícios de unidade e prontidão;
  • Exercícios de integração e foco;
  • Trabalho corporal aplicado;
  • Trabalho de caracterização e maquiagem, aplicados a proposta;
  • Estudo cenográfico e estético;
  • Noções de Produção;
  • Ensaios programados;
  • Elaboração e Montagem;
  • Estudo da trilha sonora e conceitos de iluminação e adereços (de acordo com a proposta);
  • Ensaios gerais
  • Estudo e definição do material de divulgação pelo Grupo;
  • Finalização da Proposta
  • Apresentações Públicas
  • Avaliação final do processo de formação.

 

METODOLOGIA DE TRABALHO A SER UTILIZADA:

MÉTODO: ATOR CRIADOR

Método que busca dar autonomia ao ator fazendo-o criador de sua própria dramaturgia. Podendo ele trabalhar conjuntamente com o dramaturgo na criação do texto dramático ou a partir de um texto dramático dado, imprimindo assim sua identidade.

 

PROCEDIMENTOPEDAGÓGICO

Será desenvolvido um treinamento psíquico físico “meios de tirar do corpo as objetividades cotidianas, para evitar que seja somente um corpo humano condenado a apresentar e a representar a si mesmo”.

Assim, o treinamento seria a forma pela qual o ator consegue encontrar a sua verdade e ultrapassar a sua situação fragmentada. Nesta perspectiva, o treino é a forma de transcender a limitação imposta pela cultura.

Posteriormente a jornada começa com a consciência do corpo no espaço, passando a entender a diferença entre movimento e ação, neutralidade e drama, reconhecendo a história, o drama e a ação que cada corpo individual carrega.

Após disso pode começar a viagem da mimo-dinâmica: uma jornada de observação e imitação da natureza na qual redescobrir a variedade de ritmos, formas, gestos e dinâmicas que enriquecem a linguagem poética do participante. A natureza é a primeira fonte de inspiração, e esse conhecimento por meio da imitação inspira a visão do teatro baseado nos movimentos da vida. Vamos jogar, improvisar e exercitar a criatividade, neste lugar lúdico, transformador e produtivo, que é o teatro.

No segundo módulo o ator vai estudar a dramaturgia do ator e do autor e a composição da personagem e técnicas e procedimentos da encenação.

Além da pratica teatral, haverá iniciação teórica assim os participantes conseguirão pensar e refletir sobre suas praticas e analisar as teorias existentes. O trabalho se dara por meio de um trabalho corporal, vocal, bem como por uma ênfase na improvisação, interpretação teatral e na vivência do fenômeno teatral por meio da prática de Montagem Teatral

AVALIAÇÃO: Avaliação Formativa, visando fornecer subsídios para que o aluno compreenda seu próprio processo de aprendizagem.

CARGA HORÁRIA GERAL – 200 horas (aproximado);

SEMANAL = de 6 a 8 horas ( será definido conforme inscrições / preferencialmente quarta e quinta -feiras).

CARGA HORÁRIA DESTINADA A CADA ETAPA:

OBS: As aulas práticas e teóricas aconteceram paralelamente e será destinado 20 horas para esclarecer e refletir a teoria que orientara o trabalho.

  • Parte pratica: 80 horas (Preparação do ator/atriz)
  • Parte teórica: 20 horas
  • Para a observação de espetáculos: 100 horas (Prática de Montagem)

OBS: O número de horas de prática de montagem poderá ser ampliada caso os participantes não necessitarem do total de horas total para preparação.

SELEÇÃO DOS INSCRITOS PARA OFICINA/MONTAGEM.

Ter idade igual ou superior a 12 anos

 

Na Oficina de Montagem é interessante que o aluno já tenha participado de algum curso básico ou tenha participado de algum Grupo Teatral ou Oficina, por um período.

Também poderá ser feito por Atores já formados profissionalmente que queiram exercitar-se através da referida montagem.

RECOMENDAVEL:

Vestimenta

Roupa leve, escura e confortável.

 

DIA DE EXECUÇÃO DA OFICINA:

4ª a 5ª feiras

 

 

 

 

SILVIO JOSÉ DA LUZ

Formação:

Nasceu em Blumenau, Santa Catarina, Brasil, em 05 de novembro de 1965. ** Bacharel em Teatro pela FURB/**Especialização em Encenação Teatral (monografia em aberto) pelo GENE/FURB./**NuTE – Núcleo de Teatro e Escola (Básico e Avançado).

Formação Complementares:

Periplo Cia de Teatro: Trabalho do Ator. Sentido e Fundamentos:(Astrolábio Teatro – 07 a 15/01/2000 = 96hs e de 21 a 29/01/2000 = 96hs;) **Trabalho de Treinamento, o ator na construção do presente” Ministrado por Diego Cazabat e assistido em forma permanente pela equipe Périplo CIA Teatral – 22 a 31/01/99 = 91hs, no Astrolábio Teatro – Buenos Aires; **Treinamento Cotidiano Do Ator – Ministrante: Ricardo Puccetti e Carlos Simione (Lume) – 23 a 27/07/1991 . Participou de oficinas com Renato Ferracine, Marco Antonio Rodrigues, Fernando Villar, Bya Braga, André Carreira, Mônica Montenegro, Francisco Medeiros, Mauro Zanatta.

Atua desde 03/92:

Nas funções de Ator/Diretor/Iluminador/Produtor é fundador da Pesquisa Atoral Cia de Teatro (07/2006 a …) – Presidente/Diretor; participou do Grupo de Pesquisa da Carona (03/2007 a 12/2008) – Aux. Direção/Ato/Iluminador, Kontra Senha (1991 a 2000) – Presidente/Diretor/Ator, Grupo Meu Grupo (1993 a 1996) – Ator/Produtor/Iluminador/, Grupo Fusão Liturgia do Teatro &Pára-Choques (02/1991 a 12/1993) – Ator/Produtor..

Principais trabalhos como ator:

Macbeth “Uma Interferência na História” (Adaptação e Direção: Alexandre Venera), A Roda Gigante (Texto: Alexandre Venera/Direção: PépeSedrez,) Senhoras e Senhores (Texto: Giba dos santos/Direção: PépeSedrez), Negro Olhar (Texto: Marcelo F. de Souza/Direção: PépeSedrez) – Direções: Amálgama (Dramaturgia: Adriano Amaral e Silvio José da Luz/Texto: Gregory Haertel), Contos de Areia (Autor – PépeSedrez), Bye Bye Paraiso (Autor: Nassau de Souza), O Fim (Autor: Nassau de Souza)

PREMIAÇÕES:

Direção Revelação(7º JOTE – Titac/1992 com o espetáculo BYE BYE PARAISO – Autor: Nassau deSouza)

Direção(10º JOTE – Titac/1995 com o espetáculo CONTOS DE AREIA Autor – PépeSedrez)

Leciona (ou)

(Professor de Iniciação Teatral e Interpretação)

**Casa das Oficinas – Curso Livre – Contribuição: 03/2011 a…

**Fundação Cultural de Brusque – Arte em Qualquer Parte – Contribuição: 03/2013

**CETISA: Centro Educacional Timbó/Contribuição: 03/2011 a 12/2011. ;

**Colégio Sinodal; DOUTOR Blumenau Pomerode – SC./Contribuição: 02/02/2000 a 07/12/2012;

**Fundação Cultural de Blumenau – Arte nos Bairros – Contribuição: 02/1999 a 12/2000;

**NUTE: Núcleo de Teatro e Escola – Blumenau – SC./Contribuição: 03/1992 a 12/1998

Outras Atividades:

Técnico de luz/palco e membro da organização de Festivais como: FITUB/FESTFOLK/FENATIB e participei como Selecionador e da Análise de Espetáculos do IBIATRO (Festival de Teatro de Ibirama).Professor Encenador do Projeto Shakespeare Na Escola apoiado pelo FUNDCULTURAL e Fundação Catarinense de Cultura em 2009.Produtor da opiopticA Coletivo de Artes Visuais – 2011

 

O projeto

O 2º BQ (en)Cena, realizado pela PrismaCultural, traz para a cidade e região grandes espetáculos nacionais, bem como apresentações artísticas locais, proporcionando ao público um grande contato com o mundo das artes cênicas. A temporada contará com duas apresentações ao mês, que iniciou em agosto de 2015 e vai até agosto deste ano. Ao todo, serão 30 apresentações, de sete espetáculos nacionais e dois espetáculos regionais selecionados pelo 2º Edital da Temporada, além mais três espetáculos convidados e uma Oficina/Montagem Teatral, para jovens atores ou interessados em conhecer e fazer teatro.

O 2º Edital e Temporada de Teatro em Brusque teve a parceria do Centro Empresarial, Social e Cultural de Brusque (CESCB), o patrocínio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e das empresas Zen, ZM, Supermercados Archer, Irmãos Fischer, Guabi Fios e apoio da Uvel Veículos, entidades e empresas que já haviam sido parceiras na realização do 1º Edital. Além disso, o projeto também conta com o apoio Cultural da Fundação Cultural de Brusque.

“Desde 2006 a Prisma vem somando esforços, assim como outros atores da produção artística e cultural da cidade de Brusque, como a Fundação Cultural de Brusque, produtores locais, artistas e demais entidades, na formação de uma programação ampla para a cidade e região, oferecendo a comunidadeum momento de lazer diferenciado, de descontração, para que as pessoas venham ao teatro e assistam peças de excelente qualidade. Por isso, convidamos todos para acompanharem a nossa programação e prestigiarem grandes espetáculos”, completa Valle.

 

 

 

 

SERVIÇO

Ação – Oficina/Montagem

Oficineiro – Silvio José da Luz

Período de inscrições: 01 a 19/02/16

Idade mínima: 12 anos

Ficha de inscrição: Disponível no www.prismacultural.com.br / http://www.prismacultural.com.br/noticias/oficinamontagem-ficha-de-inscricao/

Obs.: Preencher a ficha e enviar para o email: contato@prismacultural.com.br

Mais informações: (47) 3351-5137 / (48) 99 31 2000 ouwww.prismacultural.com.br/ contato@prismacultural.com.br

 

 

O 2º Brusque em Cena apresenta espetáculo nacional “O Gigante Egoísta”

galeria-06

 

2º Brusque em Cena apresenta espetáculo nacional “O Gigante Egoísta”

Peça será apresentada no Teatro do CESCB em Brusque
Como parte da programação do 2º BQ(en)Cena, na quarta-feira , 27 de Janeiro, a PrismaCultural traz para Brusque o espetáculo “O Gigante Egoísta” da Artesanal Cia. de Teatro do Rio de Janeiro. A peça será apresentada no Teatro do Centro Empresarial, Social e Cultural de Brusque (CESCB) em dois horários no mesmo dia: às 15h e 19h30.

O Gigante Egoísta

Escrito por Oscar Wilde, no século XIX, “O Gigante Egoísta” é um dos seus poucos contos escritos para o público infantil. Publicado no livro “O Príncipe Feliz e Outras Histórias”, este era uma dos contos preferidos de Wilde, que ele costumava contar para seus dois filhos para quem o livro é dedicado.
A adaptação para o teatro da Artesanal Cia. de Teatro do Rio de Janeiro, que em 2013 e 2014 cumpriu temporadas em São Paulo e Rio de Janeiro, vem aprofundar a pesquisa narrativa que o grupo vem desenvolvendo com uso de teatro de animação, nesse caso mais especificamente bonecos de manipulação e máscaras teatrais.O conto, uma crítica ao individualismo humano e da sociedade vitoriana da época, é também uma reflexão sobre o passar do tempo e sobre a natureza cíclica de todas as coisas. O espetáculo, vale-se do lirismo de Wilde e constrói belas imagens plenas de poesia e ludicidade.

– Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro Infantil / 2013 – Melhor Espetáculo, Melhor Ator e Melhor Figurino.

– Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem / 2014 – Melhor Texto Adaptado, Melhor Trilha Sonora e Melhor Iluminação..
“É com muita satisfação que a Prisma traz a Brusque mais esse espetáculo. É uma apresentação que vem mostrando o potencial do 2º BQ(en)Cena, com toda a sua programação, que vai até agosto de 2016, com excelentes peças. E mais uma vez esperamos ter casa lotada no dia 27, em ambas as sessões”, reforça o diretor da Prisma.
Para garantir maior comodidade nas apresentações, os ingressos antecipados já estão à venda na recepção do Centro Empresarial. O 1º lote no valor de R$ 5,00. O 2º R$10, e o 3º R$ 20.
O projeto
O 2º BQ (en)Cena, realizado pela PrismaCultural, traz para a cidade e região grandes espetáculos nacionais, bem como apresentações artísticas locais, proporcionando ao público um grande contato com o mundo das artes cênicas. A temporada contará com duas apresentações ao mês, que iniciou em agosto de 2015 e vai até agosto deste ano. Ao todo, serão 30 apresentações, de sete espetáculos nacionais e dois espetáculos regionais selecionados pelo 2º Edital da Temporada, além mais três espetáculos convidados e uma Oficina/Montagem Teatral, para jovens atores ou interessados em conhecer e fazer teatro.
O 2º Edital e Temporada de Teatro em Brusque teve a parceria do Centro Empresarial, Social e Cultural de Brusque (CESCB), o patrocínio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e das empresas Zen, ZM, Supermercados Archer, Irmãos Fischer, Guabi Fios e apoio da Uvel Veículos, entidades e empresas que já haviam sido parceiras na realização do 1º Edital. Além disso, o projeto também conta com o apoio Cultural da Fundação Cultural de Brusque.

“Desde 2006 a Prisma vem trabalhando, junto a Fundação Cultural de Brusque, com os produtores locais, artistas e demais entidades, na formação de uma programação ampla para a cidade e região, oferecendo a comunidade um momento de lazer diferenciado, de descontração, para que as pessoas venham ao teatro e assistam peças de excelente qualidade. Por isso, convidamos todos para acompanharem a nossa programação e prestigiarem grandes espetáculos”, completa Valle.

A trama
Depois de passar sete anos na casa de seu amigo Ogro, o Gigante descobre que crianças invadiram seu palacete para brincar em seu jardim. Ele expulsa as crianças de sua propriedade e constrói um muro que a separa do resto da cidade. Isolado e sozinho, o Gigante percebe que o inverno hospedou-se definitivamente em sua casa e que a primavera recusa-se a voltar ao seu jardim, agora eternamente coberto pelo gelo e pela neve. Porém a chegada de um menino que resolve brincar no jardim, apesar da sua proibição, traz de volta a primavera e faz com que o Gigante reconheça o quanto tinha sido egoísta.

SERVIÇO
Espetáculo “O Gigante Egoísta”
Artesanal Cia. de Teatro do Rio de Janeiro-RJ
Dia 27 de Janeiro, quarta- feira
Duas apresentações: às 15h e 19h30
No Teatro do CESCB
Faixa etária Infanto- Juvenil
Classificação: Livre- Recomendado a partir dos 5 anos
Ingressos antecipados na recepção do CESCB: 1° lote R$ 5,00 2º lote: R$10 /3º lote: R$ 20
Mais informações: (47) 3351-5137 / 3044-3913 ou www.prismacultural.com.br

O encantamento de um gato e seu par de botas

gatos2
A peça “Gato de Botas: quem disse que só o cão é o melhor amigo do homem?”, da Cia de Teatro Menino Tambor, de Porto Alegre encantou crianças e adultos nas apresentações do 2ºBQ (en) Cena. (Fotos: Luís Brusque)

 

Não foi preciso mais do que os primeiros miados de uma gataria cigana para a seleta platéia cair na gargalhada. Nesta quarta-feira, 14 de outubro, às 15h e 19h30min, foi apresentado no teatro do Centro Empresarial, Social e Cultural de Brusque (CESCB), o espetáculo “Gato de Botas: quem disse que só o cão é o melhor amigo do homem?”, da Cia de Teatro Menino Tambor, de Porto Alegre. O evento integra o 2º BQ (en)Cena, realizado pela PrismaCultural.

Em cartaz desde 2013, é a primeira vez que a peça deixa os palcos gaúchos para se apresentar em outro Estado. Em cena, três músicos, seis atores e a difícil tarefa de entreter o mais disperso dos públicos: o infantil.

“Nossa proposta é montar trabalhos infantis com qualidade e despertar na criança o senso crítico, contribuindo para a formação de plateia. Todo artista se queixa da ausência de público sem se dar conta que o investimento começa na infância. O problema é que teatro infantil nem sempre é pensado, nem sempre é feito com qualidade. Às vezes, as peças para crianças são caricaturadas e se tem a conotação pejorativa de não ser algo profissionalizado, de fazer de qualquer jeito porque a criança vai achar bonito. E aí começa uma grande falha, porque são as primeiras experiências deste público. A criança pode se assustar, pode achar barulhento e talvez perca o interesse, não volte mais”, explica a diretora e atriz do espetáculo, Daiane Oliveira, também responsável pela adaptação do clássico escrito pelo francês Charles Perrault em 1697.

Segundo Daiane, o público adulto pode até fingir e fazer de conta que está gostando. Mas a resposta da criança é sincera, imediata, quase irreversível. Basta puxar uma conversa com o amigo que está do lado para se perder a atenção. “Às vezes é questão de uma cena. Isso exige de quem está no palco um cuidado muito grande. Não se pode dar tempo para a criança pensar, tempo de ela olhar para o teto. Então, nosso primeiro passo foi o trabalho de pesquisa, com o objetivo de entrar no mundo das crianças de hoje, que é diferente do mundo da nossa infância. Até agora a resposta tem sido ótima. As crianças gostam do espetáculo”, avalia Daiane.

Em Brusque, o comportamento dos pequenos não foi diferente. Olhos e ouvidos atentos, direcionados apenas para o palco. Gargalhadas, palmas, interação. No mês em que se comemora o Dia das Crianças, a  PrismaCultural fez parte desta festa e possibilitou aos pais e filhos, professores e alunos, o encontro prazeroso com o teatro.

“Foi uma surpresa agradável. O espetáculo contentou não apenas as crianças, como também os adultos. Apesar da temática infantil, o que se viu no palco foi muita dança, muita cantoria, um figurino belíssimo, a articulação perfeita entre os atores e atrizes, além do trio de música ao vivo que fez toda a diferença. Estamos satisfeitos pela seleção de espetáculos de primeira linha, que já circulam pelo Brasil e que agora passam por Brusque, formando uma plateia qualificada”, avalia o diretor e produtor cultural da Prisma, Sérgio Valle.

A próxima edição do 2º BQ (en)Cena está marcada para os dias 10 e 11 de novembro, no teatro do CESCB. Em cartaz, “Corpo Oral”, das atrizes Lieza Neves e Patrícia Souza, com textos de Rafael Zen. Os ingressos são limitados e mais informações estarão disponíveis no site www.prismacultural.com.br ou na fanpage @Prisma Cultural.

teatro2
Em cartaz desde 2013, é a primeira vez que a peça deixou os palcos gaúchos para se apresentar em outro Estado (Foto: Luís Brusque).

 

Saiba mais sobre a Cia Menino Tambor

Formada pelo casal Lucas Krug e Daiane Oliveira, a Cia de Teatro Menino Tambor recebe convidados para cada espetáculo desenvolvido. Especialmente no “Gato de Botas: quem disse que só o cão é o melhor amigo do homem?”, além de Lucas e Daiane, quem também forma o elenco são Guilherme Ferrêra, Henrique Gonçalves, Plínio Marcos e Fernanda Santos, com trilha sonora, arranjos e músicas de Arthur de Faria.

Em dois anos de estrada, a peça selecionada no 2º Edital e Temporada de Teatro em Brusque, é vencedora do Prêmio Tibicuera de Teatro 2013 nas categorias Melhor Atriz Coadjuvante (Daiane Oliveira), Melhor Cenário (Lucas Krug) e Melhor Produção (Sandra Narcizo – MS2 Produtora).

“Ao todo, foram seis meses de montagem, embora o texto tenha sido escrito há mais tempo e ficou maturando o momento certo. Escolhi o “Gato de Botas” porque queria contar a história de um anti-herói. Li várias versões e fiz uma adaptação cuidadosa, para não transmitir mensagens de violência ou mentira para as crianças. Ao mesmo tempo, queria desvincular a imagem que se tem do Gato de Botas no filme do Shrek. Muitos contos de fadas estão sendo refilmados e essa nova geração talvez nem tenha mais conhecimento da versão original. Às vezes, o primeiro contato que a criança tem com determinada história é o remake do remake”, pontua Daiane.

Como o Gato de Botas é um exímio bailarino de Flamenco, os atores do espetáculo também precisaram entrar na dança. A preparadora corporal estava em palco: Fernanda Santos, a gata vermelha, além de atriz é bailarina e montou as coreografias. Atores e atrizes também passaram por aulas de preparação vocal, se transformando em gatinhos afinados na arte de cantar.

Agora, os novos desafios da Cia Menino Tambor são o lançamento do livro “Gato de Botas: quem disse que só o cão é o melhor amigo do homem?”, todo rimado e escrito por Daiane. O casal também trabalha em dois novos espetáculos: “O Maravilhoso Mágico de Oz” e “O menino que não sabia imaginar”, este último inspirado na obra de Ziraldo.

escola
No mês em que se comemora o Dia das Crianças, a PrismaCultural fez parte desta festa e possibilitou aos pais e filhos, professores e alunos, o encontro prazeroso com o teatro (Foto: Luís Brusque).

PRODUTOR CULTURAL DA PRISMA VISITA O FESTIVAL PORTO ALEGRE EM CENA

O diretor e produtor cultural da Prisma, Sérgio Valle, está na capital do Rio Grande do Sul, desde a quarta-feira, 19 de agosto, onde visitou o local de realização de um dos grandes festivais internacionais de teatro realizado no país: o Porto Alegre em Cena.

Durante a visita, na manhã de quinta-feira, 20,  Sérgio foi recebido no casarão do evento, onde pode conhecer um pouco mais sobre o festival e a sua história, que foi apresentado pelo diretor geral de Produção e Projetos Internacionais do festival, Fernando Zugno.

Além disso, Valle também encontrou o coordenador geral do Porto Alegre em Cena e selecionador do 2º Edital e Temporada de Teatro em Brusque: Luciano Alabarse. O encontro estreitou ainda mais os laços entre a Prisma Cultural e o POA em Cena.

“Estreitamos o diálogo no sentido de implementarmos uma parceria entre o Porto Alegre em Cena e a PrismaCultural, com o objetivo de ampliar a circulação de espetáculos, tanto de teatro como de música, entre o festival do Rio Grande do Sul e a Temporada de Brusque, contemplado outras cidades do estado, como Florianópolis, Joinville, Itajaí. Também falamos sobre a cooperação entre as equipes de produção e administração do POA em Cena e da PrismaCultural, além de questões relacionadas à formação não só no âmbito da produção, mas também no fazer artístico. Foi um encontro muito positivo e vamos buscar fortalecer ainda mais essas parcerias”, declarou o diretor da Prisma.

sergio poa em cena

‘POIS É, VIZINHA…’ ABRE 2º BQ (EN)CENA

Segunda Temporada de Teatro em Brusque, promovida pela PrismaCultural, leva dezenas de pessoas ao Teatro do Cescbr

A noite de sexta-feira, 7 de agosto, marcou o início do 2º BQ (en)Cena, a temporada de teatro em Brusque promovida pela PrismaCultural, no Teatro do Centro Empresarial Social e Cultural de Brusque (Cescbr). O espetáculo ‘Pois é, vizinha…’, de Porto Alegre, abriu oficialmente a temporada, que segue até agosto de 2016. Todos os meses companhias e grupos teatrais de diversos estados do Brasil se apresentarão em Brusque, através da temporada. Ao todo, serão 30 apresentações, de sete espetáculos nacionais e dois espetáculos regionais selecionados pelo 2º Edital da Temporada, além mais três espetáculos convidados e uma Oficina/Montagem Teatral, para jovens atores ou interessados em conhecer e fazer teatro.

“É com muita satisfação e alegria que abrimos o 2º BQ (en)Cena. Tivemos um bom público na noite de hoje no espetáculo ‘Pois é, vizinha…’ com a Deborah Finocchiaro se superando no palco mais uma vez, trazendo o público ao riso, mas também a uma reflexão sobre a posição da mulher na sociedade atual. O público ficou bastante contente de participar dessa abertura e esperamos que neste sábado, dia 8, às 19h30, mais pessoas prestigiem este belo espetáculo”, ressalta o diretor da PrismaCultural, Sérgio Valle.

Os ingressos deste sábado serão vendidos na entrada do espetáculo, ao valor de R$ 5, com meia entrada para estudantes e idosos. “Nossa grande intenção é a formação de plateia e que todos participem, todos venham ao teatro. Por isso facilitamos ao máximo a acessibilidade de todo público”, enfatiza Valle.

O superintendente da Fundação Cultural de Brusque, Michel Belli, fez questão de participar da abertura do 2º BQ (en)Cena e reforçou a importância do evento na cidade, que começa agora e segue até 2016. “As pessoas terão espetáculos todos os meses e isso é extremamente positivo para a nossa cidade e também para o público de toda região, que pode participar das apresentações aqui no Cescbr”.

 

Tragicomédia

O espetáculo ‘Pois é, vizinha…’ já percorreu diversos estados brasileiros e tem o grande objetivo de despertar a reflexão dos espectadores. “É a primeira vez que viemos para Brusque e é uma honra estar aqui abrindo essa segunda temporada de teatro. Isso alimenta e transforma uma comunidade”, comenta a atriz Deborah Finocchiaro.

Por quase uma hora ela fez da plateia a vizinha que ouvia a mulher, trancada dentro de casa pelo marido. E provocou momentos engraçados, mas também de muita reflexão. “É uma tragicomédia que retrata a vida de muitas mulheres. Infelizmente existem milhões de mulheres que sofrem violência no mundo inteiro. E nós, como artistas, temos obrigação de colocar uma luz nesse mar da cegueira que é esse sistema doente, competitivo, esse sistema econômico que faz as pessoas viverem para trabalhar, que muitas vezes não conseguem olhar umas às outras, esse sistema do ter e não do ser. Temos a obrigação de falar sobre essas coisas, sobre a impunidade, a arrogância, o preconceito. Fazemos essa peça há 22 anos, pelo Brasil inteiro, promovemos muitas conversas com organizações, secretarias de políticas para as mulheres. O que nos interessa é tocar na alma do espectador, fazer ele refletir, repensar e rever seus conceitos”, analisa.

A assessora de comunicação Talita Garcia fez questão de assistir o primeiro espetáculo do BQ (en)Cena com a mãe Elizete e a tia Márcia da Luz. “Eu gostei bastante da peça, me diverti muito. Achei a atriz excelente, pois ela atuou por quase uma hora praticamente sozinha e foi muito dinâmico. Gostei muito também da escolha desse espetáculo para abrir a temporada. Acho que o público deve prestigiar ainda mais, pois estamos tendo a oportunidade de receber espetáculos muito interessantes e excelentes através da segunda temporada de teatro”, comentou.

 

A peça

Pois é, Vizinha…, uma adaptação de Deborah Finocchiaro do texto “Una Donna Sola”, de Franca Rame e Dario Fo (Prêmio Nobel de literatura 1997), conta a estória de Maria, uma dona-de-casa trancafiada em casa pelo marido “gauchão” que é obrigada a suportar o cunhado semi-paralítico e tarado, o “voyeur” do prédio vizinho, o tarado do telefone e o apaixonado rapaz que é professor de inglês. Um dia se depara com uma vizinha do prédio em frente e desabafa. Aos poucos, o simples cotidiano revela-se patético. A linguagem cômica é utilizada como ponte para retratar, com muita atualidade, as situações trágicas e recorrentes do nosso cotidiano, tais como: a violência doméstica contra a mulher; a hipocrisia que permeia tantos casamentos; o prazer ou desprazer sexual feminino; a fragilidade dos valores calcados nos bens materiais; a dependência no “outro”; o difícil exercício da liberdade; além do questionamento dos valores consumistas impostos pela mídia em geral. Em mais de 600 apresentações, assistido por mais de 200 mil pessoas nos 22 anos de estrada, Pois é, Vizinha… vem conquistando plateias de todas as idades de Norte à Sul do Brasil e também na Argentina, além de participar de reconhecidos festivais e projetos, entre eles o Lâmpada Mágica AES Sul, Palco Giratório SESC e todas as edições da Mostra Porto Verão Alegre. É o primeiro espetáculo gaúcho a virar curta-metragem na primeira edição do “Histórias Curtas” da RBS TV, em 2001. Pois é, Vizinha… é uma comédia que retrata as relações humanas de uma forma clara e direta, fazendo com que o público se identifique e, através de muitos risos, possa repensar e questionar a própria vida.

 

 

Crédito das Fotos: Luís Teixeira

IMG_2171IMG_2193IMG_2230IMG_2243